Segunda-feira, 20 de junho de 2005 - 18h03
P&O Nedlloyd inaugura novo terminal em Hortolândia

A P&O Nedlloyd, empresa global de transporte marítimo de cargas, acaba de iniciar as operações de um novo terminal avançado em Hortolândia, interior de São Paulo. Este é o segundo terminal avançado da empresa no Estado e, a exemplo da unidade da cidade de São Paulo (localizada no bairro da Mooca), inaugurada em 2003, possui interligação com o modal ferroviário, permitindo a ligação direta com o terminal da empresa em Santos, via trem. O novo terminal é operado pela Tomé, e a linha férrea, pela MRS. O objetivo é agilizar as operações de embarque e desembarque nos navios.

O terminal de Hortolândia, assim como o da Mooca, é dedicado à movimentação de cargas conteinerizadas para exportação, importação e navegação de cabotagem. "Com o modal ferroviário, agilizamos o deslocamento das cargas para embarque em nossos navios, driblando as enormes filas de caminhões que se formam na entrada do porto, especialmente nos períodos de safra", comenta Thais Perella, gerente de Vendas de Transporte Interno da P&O Nedlloyd. O terminal de Hortolândia atende a cerca de 10 clientes, em um raio de até 300 quilômetros de distância das instalações. Já o da Mooca atende a região da Grande São Paulo, também em parceria com cerca de 10 empresas.

Nas operações de importação, os contêineres chegam em Santos e, após a liberação alfandegária, seguem de trem para o terminal avançado mais próximo do destino final da carga. De lá, são entregues para o cliente pelo modal rodoviário. Nas exportações, o contêiner vazio é enviado para o cliente de caminhão e, depois de estufado, é trazido de volta para o terminal, de onde segue para o porto de Santos de trem. Os terminais funcionam como DEPOTs (depósitos de contêineres vazios), agilizando todo o processo de carga e descarga nos clientes próximos aos terminais paulistas.

Além de evitar atrasos, o serviço proporciona a redução de avarias nos produtos durante o transporte e diminuição do roubo de cargas. "Esse serviço é complementar ao nosso serviço de transporte marítimo de cargas", afirma Perella. A expectativa da P&O Nedlloyd é de que o novo terminal movimente cerca de 5.000 TEUs por ano, volume semelhante ao operado no terminal da Mooca.

www.ponl.com.br