Quarta-feira, 28 de março de 2012 - 10h25
TCP anuncia investimentos para 2012
Com R$ 250 milhões, terminal pretende construir um novo berço de atracação e aumentar sua capacidade para 1,5 milhão de TEUs até 2013

O Terminal de Contêineres de Paranaguá – TCP, anunciou ontem, dia 27 de março, em entrevista coletiva realizada no Porto de Paranaguá (PR), os investimentos já realizados até o momento e também a previsão para o acumulado do ano. Até o final de 2012 serão aproximadamente R$ 250 milhões destinados à compra de equipamentos e à estrutura do porto.

O terminal aproveitou a ocasião para apresentar as novas máquinas adquiridas. A compra dos equipamentos consumiu R$ 51 milhões do montante previsto para 2012. Ao todo, o TCP conta com dois novos portêineres post-panamax da marca Liebherr, seis transtêineres e nove caminhões, todos já operando no terminal.

Juarez Moraes e Silva, diretor-superintendente Comercial do TCP, destaca a importância do aporte e ressalta que esse é um dos maiores planos de investimentos do setor portuário no País. “Com os novos equipamentos, já obtivemos ganhos de produtividade. Nossa capacidade atual atingiu 1,2 milhão de TEUs em comparação com 800 mil TEUs antes dos novos equipamentos”.

Segundo ele, além de necessários, os investimentos em equipamentos e na ampliação do porto visam também aproveitar o bom momento do Brasil em relação às exportações e importações. “O TCP possui uma receita equilibrada que advém da movimentação de contêineres de exportação e importação. Além disso, o mercado de contêineres está em crescimento e estamos preparados para aproveitar esse momento”, avalia o executivo.

Futuro

O objetivo dos investimentos é aumentar a capacidade operacional para 1,5 milhão de TEUs até 2013, além de modernizar as operações, oferecendo maior comodidade aos exportadores, como aumento do número de tomadas para contêineres refrigerados. Outro grande investimento para 2012 será a construção de um terceiro berço de atracação de 315 metros, que deverá consumir R$ 140 milhões, além da compra de outros equipamentos, já em processo de aquisição, para utilização no novo píer – dois portêineres super post-panamax, seis transtêineres e 12 caminhões, totalizando uma aplicação de mais R$ 60 milhões.

Outro investimento previsto ainda para 2012, em processo de licenciamento ambiental, é a dragagem de manutenção, que permitirá ao terminal possuir 12,5 m de calado. Além disso, em 2013, o TCP pretende realizar a dragagem de aprofundamento para chegar a 14,5 m de calado, podendo assim receber os maiores navios do mundo.

Balanço de 2011

A receita registrada pelo TCP em 2011 foi de R$ 334 milhões, resultado 15% superior ao obtido em 2010. No período, o terminal ampliou em 7% o volume de contêineres movimentados para importação e exportação. “Nosso crescimento foi motivado por ganhos de produtividade, que permitiram o incremento do volume dos serviços existentes e a entrada de duas novas linhas de serviços, sendo uma para os Estados Unidos e Caribe e outra para a Europa”, afirma Silva.

Ainda em 2011, o terminal investiu fortemente na qualidade dos serviços prestados, com o objetivo de atingir o nível de excelência dos melhores portos do mundo. Para isso, foram feitos investimentos em manutenção e melhorias que permitiram um aumento de 20% na produtividade. Esse desempenho se traduziu na redução de custos operacionais para os clientes do TCP, por meio da liberação mais rápida dos navios, da redução de 37% no tempo médio de espera para atracação e de uma diminuição de 44% no número de cargas que não conseguem ser embarcadas na data prevista.

Essas melhorias permitiram ao terminal atrair os maiores navios de contêineres da costa brasileira, seguindo a tendência mundial de aumento do tamanho das embarcações, que permite mais ganhos para toda a cadeia de transporte marítimo. “Como resultado, em fevereiro passado, o TCP recebeu o maior navio já atracado no Brasil, o Cosco Vietnan, com 334 metros”, completa o diretor-superintendente Comercial do TCP.