Segunda-feira, 16 de abril de 2012 - 12h07
Codeba anuncia investimentos de R$ 2 bilhões
Portos administrados pela autoridade portuária recebem obras de expansão e novos equipamentos

A Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba) anunciou no dia 12 de abril, em coletiva de imprensa realizada durante a 18ª edição da Intermodal South America, em São Paulo, investimentos públicos e privados de cerca de R$ 2 bilhões na infraestrutura dos portos de Salvador, Aratu e Ilhéus. O aporte tem como objetivo tornar os portos aptos a receber qualquer tipo de embarcação, aumentar a capacidade de escoamento e facilitar os acessos.

Parte do montante já foi aplicado no ano passado, quando o Porto de Salvador, localizado na Baía de Todos os Santos, teve concluída sua obra de dragagem de aprofundamento do terminal de contêineres e no cais de ligação para 15 metros, com custos de R$ 55 milhões. Além disso, o Tecon Salvador, operado pela Wilson, Sons, começou a trabalhar, no mês de abril, com três novos portêineres com capacidade para movimentar cargas em embarcações super port-panamax e seis novos RTGs que passam a integrar os equipamentos do pátio do terminal. Para a aquisição das novas máquinas, vindas da China e recebidas em dezembro de 2011, foram investidos R$ 160 milhões.

Ainda sem datas definidas, o Porto de Salvador receberá também obras de ampliação do quebra-mar norte em 405 m e de construção de um segundo terminal para contêineres com aterro para a retro-área, além de regularizações ambientais e das obras da Via Expressa Baía de Todos os Santos, que vai ligar o Porto de Salvador à BR-324, com custo total de R$ 390 milhões.

Também localizado na Baía de Todos os Santos, Aratu – porto-indústria responsável por 61% da receita da Codeba – vai receber um novo terminal de granéis sólidos, com foco em minérios como ferro e manganês, com um aporte de R$ 400 milhões, sendo R$ 150 milhões de investimentos públicos. O Porto de Aratu receberá ainda obras de ampliação da área de tancagem de líquidos e a construção de dois novos berços de atracação destinados a granéis líquidos, com custo estimado em R$ 100 milhões provenientes de empresas privadas investidoras do porto. Além disso, haverá obras de melhorias dos acessos rodoviários, construção de um pátio de triagem e de um estacionamento para veículos de carga em uma área anexa ao porto, modernização dos ramais ferroviários e regularizações ambientais que envolvem a descontaminação geral, a construção de uma área de resíduos e de uma estação de tratamento de efluentes, somando um investimento de R$ 35 milhões.

Já o Porto de Ilhéus, localizado no litoral sul do Estado da Bahia, receberá uma verba pública de R$ 200 milhões que será aplicada na construção de uma nova plataforma de acostagem e aterro, melhorias na acessibilidade, dragagem de aprofundamento para 14 m e compensação ambiental para as praias do norte.

Em 2011, a movimentação na Baía de Todos os Santos atingiu mais de 32 milhões de toneladas, e a Codeba registrou um faturamento de R$ 118 milhões. Além dos portos administrados pela autoridade portuária, a baía abriga mais cinco terminais controlados pelas empresas privadas Petrobrás, Dias Branco, Dow Química, Ford e Gerdau.

Foto de Tadeu Miranda