Quinta-feira, 28 de junho de 2012 - 12h00
SKF do Brasil consolidará operações logísticas
Companhia automotiva inaugura, em dezembro, seu novo centro de distribuição. Novidade chega para unificar movimentações, hoje realizadas em quatro CDs diferentes

A SKF do Brasil, por meio de sua divisão SKF Logistics Service, informa que investirá R$ 7 milhões na construção de um novo centro de distribuição, cujas operações terão início no próximo mês de dezembro. A estrutura, que será instalada em Cajamar (SP), chega para consolidar as movimentações da companhia, hoje descentralizadas em quatro diferentes unidades – São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Paraíba.

O novo CD, que receberá um mix de 12 mil itens, contará com uma área total de 17.896 m² – sendo 15.466 m² para estocagem – e 30 docas. Ao todo, o local terá 18 mil posições-palete e capacidade para armazenar horizontalmente sete mil caixas. Ele empregará 120 funcionários, que deverão movimentar 56 mil linhas por mês. Juntos, os quatro CDs atualmente utilizados somam 9.500 m², com 17 mil posições-palete, e operacionalizam 40 mil linhas mensalmente.

Segundo o diretor de Logística da SKF do Brasil, Mattias Gremlin, a companhia irá trabalhar com apenas um CD para reduzir o tempo de entrega. Atualmente, a expedição é realizada em três dias e a entrega é efetuada em até cinco. De acordo com o executivo, num primeiro momento, estes prazos serão mantidos. O aumento de espaço físico também permitirá que mais solicitações sejam processadas diariamente. “Teremos um ganho de 70% no processamento de novos pedidos”, garante o executivo.

A redução nos custos também é uma das metas com a consolidação. Sem revelar números, Gremlin ressalta que a ideia é otimizar os gastos com fretes entre a fábrica, também localizada em Cajamar, e o armazém, devido à redução na distância percorrida. Hoje, a SKF opera com sete transportadores rodoviários que fazem semanalmente 30 embarques, abastecendo clientes e distribuidores em todo o Brasil. “Não consideramos a hipótese de diminuir o número de fornecedores”, afirma.