Segunda-feira, 1 de agosto de 2016 - 10h40
Mercedes apresenta caminhão pesado totalmente elétrico
Companhia prevê o início da fabricação em série já na próxima década

A Daimler Trucks, detentora da marca Mercedes-Benz, apresentou, na última semana, em Stuttgart, na Alemanha, o primeiro caminhão totalmente elétrico com peso bruto total (PBT) de até 26 toneladas, para distribuição em curtas distâncias, batizado de Urban eTruck.

De acordo com a própria companhia, o veículo, alimentado por um conjunto de três módulos de baterias de lítio-íon, é um demonstrativo de que, no futuro, os caminhões pesados realizarão serviços de distribuição urbana com emissão zero de poluentes e com níveis de ruído tão reduzidos que chegam a ser quase imperceptíveis.

Mercedes-elétrico-internaO Mercedes-Benz Urban eTruck apresenta autonomia de até 200 km e a Daimler prevê que a produção em série seja possível já no início da próxima década. No segmento de leves, a companhia já tem demonstrado a adequação para o dia a dia do caminhão totalmente elétrico em testes realizados junto a alguns clientes desde 2014.

O Urban eTruck foi baseado em um caminhão pesado Mercedes-Benz de três eixos. Os engenheiros da companhia revisaram o conceito de propulsão: o trem de força convencional foi substituído por um novo eixo traseiro, com propulsão elétrica por motores posicionados diretamente junto aos cubos de rodas. Graças a esse conceito, as baterias são acomodadas em um local à prova de colisões dentro do quadro do chassi.

“Anteriormente, os sistemas elétricos de propulsão tinham uso extremamente limitado em caminhões”, explica Wolfgang Bernhard, membro do Conselho de Administração da Daimler AG e responsável pela Daimler Trucks & Buses. “Os custos, desempenho e tempo de carga se desenvolveram tão rapidamente que agora há uma inversão da tendência no setor da distribuição: a época é propícia para o caminhão elétrico”.

Até pouco tempo, os altos custos das baterias e sua curta autonomia eram obstáculos para o uso de sistemas totalmente elétricos de condução nos caminhões. A tecnologia, porém, já se encontra muito mais madura. A Daimler prevê que os custos das baterias terão diminuído duas vezes e meia até 2025 na comparação com 1997, e o desempenho tende a melhorar em uma proporção equivalente.