Sexta-feira, 26 de outubro de 2018 - 11h29
Simpósio do Grupo Polar fomenta debates sobre as melhores práticas na cadeia do frio
Representantes da indústria, distribuidores e operadores logísticos se reúnem para discutir tendências e soluções

O Grupo Polar realizou ontem, dia 25 de outubro, em São Paulo, a quarta edição de seu simpósio, que reúne representantes da indústria farmacêutica, distribuidores e operadores logísticos. Neste ano, o evento fomentou os debates e apresentou as tendências e soluções relacionadas ao tempo e temperatura a controlados para a cadeia do frio. Presentes no encontro, DHL Supply Chain e AGV Logística mostraram suas estratégias de atendimento às companhias do setor.

A supervisora de Qualidade, Consumer and Life Sciences Brazil, da DHL Supply Chain, Lucimeire Sola, apresentou as estratégias que a empresa adota na qualificação de seus ativos – armazéns, câmaras, freezers e veículos – a fim de adequá-los às demandas dos players da cadeia do frio. Entre as ações, destaque para o acompanhamento dos planos de manutenção dos sistemas aplicados nas estruturas de armazenagem e das tecnologias de controle de temperatura dos veículos.

O transporte é gerenciado de perto. “Nós suportamos a definição e a performance das rotas de nossos clientes. Além disso, nossos condutores são treinados para operar os veículos da maneira correta, como ligá-los com antecedência para que a temperatura esteja adequada no momento em que os produtos são embarcados”, diz Lucimeire. Ela completa dizendo que os motoristas sabem identificar as falhas no sistema do frio e são orientados a informar de imediato as ocorrências.

Segundo a supervisora, hoje a cadeia do transporte para a cadeia do frio está mais robusta, há referências e são adotadas as melhores práticas. “Trabalhamos com transportadoras que nos prestam serviço. Uma delas emprega agregados e, baseada em nossos critérios, os qualificam. Já os demais fornecedores de transporte são qualificados por nós da DHL”, conta.

A estruturação e o planejamento prévio das operações junto ao setor frigorificado é uma das diretrizes dos operadores logísticos. Na AGV Logística, o head de Qualidade, Kleber Fernandes, afirma que o princípio é auxiliar a indústria do frio na resolução dos problemas.

Para isso, o executivo revela que é necessário montar, por meio de metodologias e verificando as diferentes variáveis, um projeto de ação que minimize as ocorrências. “Planejamento, equilíbrio nas decisões, parceiros desenvolvidos, planos estudados e alternativas testadas são os aspectos levados em conta”, diz. Para ele, quando os operadores sabem o que realmente fazer os impactos são diminuídos.

Outros pontos também devem ser observados, como a necessidade de garantir a flexibilidade das operações, uma vez que os operadores movimentam itens de saúde animal, saúde humana e nutrição. Fernandes explica. “Ações preventivas e de recuperação planejadas com antecedência reduzem ocorrências e diminuem a probabilidade de perdermos processos-chave no atendimento às empresas da cadeia do frio.”

Portfólio

O Grupo Polar aproveitou o simpósio e lançou alguns produtos. O Sat Move, por exemplo, é um equipamento colocado dentro da embalagem onde a carga é transportada e foi projetado para atuar em condições extremas de temperatura, sem prejudicar a leitura e o envio das informações coletadas – temperatura, posicionamento, velocidade, choque e tombamento da carga.

A empresa também apresentou sua linha de produtos Phase Change Materials (PCM), que possibilita a movimentação de itens por longos períodos sem variações expressivas de temperatura. O último lançamento, as vestimentas descartáveis Tyvek IsoClean, são utilizadas em salas limpas, uma vez que são estéreis e descartáveis. A novidade possui como acessórios, ainda, capuz, aventais, mangas e cobre-botas com solados antiderrapantes.