Quarta-feira, 26 de junho de 2019 - 16h06
Jungheinrich destaca as vantagens dos equipamentos elétricos em evento
Empresa acaba de lançar sua nova selecionadora vertical de pedidos com opção de bateria de lítio

A Jungheinrich promoveu ontem, dia 25 de junho, na cidade de Itupeva (SP), um evento intitulado A Revolução dos Equipamentos com Baterias de Lítio nas Operações de Intralogística. Durante o encontro, a companhia apresentou para a imprensa e para seus clientes as vantagens dos equipamentos de movimentação elétricos e também as tendências desse mercado.

Vigold Georg, vice-presidente da Jungheinrich para a América Latina, abriu o evento mostrando dados a respeito do mercado de empilhadeiras no Brasil e no mundo. Globalmente, as empilhadeiras elétricas ainda representam apenas 17% do total de equipamentos de movimentação utilizados na intralogística, e as máquinas a combustão correspondem a 37%. Os 46% restantes são compostos por equipamentos como paleteiras, transpaleteiras e elevadores, por exemplo. Todos os dados são de 2018.

O índice de utilização de empilhadeiras elétricas é puxado para baixo justamente por países como o Brasil. Na Europa, 19% do mercado é composto por esses equipamentos, enquanto as empilhadeiras a combustão representam apenas 15%. Já no Brasil, as máquinas elétricas correspondem a somente 7,4% do mercado, porcentagem muito abaixo dos 43,3% das empilhadeiras a combustão.

Divulgação
Divulgação

Georg aponta, porém, que o crescimento do número de máquinas elétricas deve ser cada vez maior no Brasil. Em 2010 elas representavam somente 2,4% do mercado, e esse índice foi aumentando gradativamente ano após ano até chegar aos 7,4% de 2018. “O crescimento ainda é tímido, mas vemos uma forte tendência pela adoção de equipamentos elétricos”, analisa o executivo.

De acordo com Raphael Souza, gerente corporativo Comercial da Jungheinrich, esse crescimento se deve ao fato de muitas empresas estarem revendo suas operações, buscando equipamentos mais eficientes e menos poluentes, que aumentem a produtividade e a eficiência de uma forma geral. Ele destacou como vantagens das máquinas elétricas a vida útil prolongada das baterias e a facilidade de carregamento, eliminando a necessidade de grandes paradas, a redução de ruídos e de emissão de gases, dentre outros aspectos. “No mercado de alimentos e bebidas, por exemplo, as máquinas elétricas estão em franca ascensão, justamente por se tratar de uma tecnologia mais limpa”, explica Souza.

Atualmente, das quase 10 mil máquinas da Jungheinrich em operação no mercado nacional, mais de 300 são elétricas. Segundo o executivo, somente neste ano 34% dos pedidos realizados junto à companhia foram de equipamentos movidos a bateria de lítio. Do total de máquinas elétricas da Jungheinrich em operação no Brasil, 44% são utilizadas na indústria, 21% no varejo, 17% no setor de alimentos e bebidas, 11% em empresas de logística e 6% no segmento automotivo.

Por fim, Silvio Fernandes, diretor de Logística da Leo Madeiras, apresentou um case de sucesso desenvolvido entre a empresa distribuidora de insumos para marcenaria e para a indústria de móveis e a Jungheinrich, com a substituição de seus equipamentos a combustão por máquinas elétricas com o objetivo principal de reduzir os ruídos da operação, que incomodavam a vizinhança. Clique aqui e assista ao vídeo com mais detalhes.

A Jungheinrich também aproveitou o evento para apresentar a nova geração de sua selecionadora vertical de pedidos EKS 412s, com opção de bateria de lítio. Clique no link a seguir para saber mais sobre o novo equipamento:

Nova selecionadora vertical de pedidos da Jungheinrich