Sexta-feira, 26 de julho de 2019 - 10h39
Com investimento de R$ 4 milhões, Moove expande operações
Uma esteira para 400 saídas e a expansão da estrutura em São Bernardo do Campo compõem o pacote de melhorias

A Moove anuncia que investirá R$ 4 milhões em seu hub localizado em São Bernardo do Campo (SP). O recurso será destinado à aquisição de uma esteira com 400 saídas, que substituirá o equipamento atualmente utilizado e que possui 110. Além disso, parte do montante será empregado em obras para adaptar e expandir a estrutura.

Segundo o CEO da Moove, Guilherme Juliani, a previsão é de que até janeiro de 2020 todo o novo projeto esteja em operação de forma plena, aumentando em oito vezes a capacidade de entrega por um custo 25% menor do que o atual. “Nosso trabalho é muito focado em cima dos dados e melhoria dos fluxos operacionais. Então tecnologias como robótica, mobile, big data e sharing economy fazem parte da nossa rotina e têm papel fundamental em nossa operação. Essa expansão é mais um passo no sentido de buscar as melhores práticas e soluções para nossos clientes”, diz.

Guilherme Juliani, CEO da Moove. Crédito: Divulgação
Guilherme Juliani, CEO da Moove. Crédito: Divulgação

O executivo afirma ainda que a estratégia de investir em automação levou em conta também a forte demanda logística de diversos segmentos em todo o território nacional. “O tamanho do gargalo é o mesmo da oportunidade. Logística é um problema para empresas de inúmeros setores, então nosso foco é oferecer uma solução completa, não só com o objetivo de solucionar a questão, mas de transformar a operação logística em um diferencial de negócio para nossos clientes. Com tecnologia e processos isso é possível.”

Juliani completa dizendo que os e-commerces e os produtos certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) devem receber atenção especial da empresa neste segundo semestre. “E-commerces e especialmente as amostras grátis de medicamentos representam uma fatia considerável da demanda reprimida, de modo que nosso foco no momento será centralizado nesses segmentos”, pontua.