Segunda-feira, 28 de outubro de 2019 - 10h08
IBM e Maersk desenvolvem plataforma digital colaborativa
Baseada em blockchain, TradeLens permite a colaboração entre parceiros comerciais, gerando mais eficiência e insights

A IBM anunciou, na última quinta-feira, 24 de outubro, que mais de 50 portos e terminais de diferentes países da América Latina estão trabalhando com o TradeLens, plataforma digital criada pela companhia e pela Maersk baseada em blockchain. Com cinco das seis maiores linhas globais de transporte de contêineres, representando mais da metade da capacidade global de embarcações, o TradeLens permite, segundo a empresa, a colaboração entre parceiros comerciais, gerando mais eficiência e insights em toda a cadeia global de comércio, digitalizando os fluxos de documentação comercial.

A iniciativa foi desenvolvida baseada em números divulgados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). De acordo com dados da instituição, cerca de 90% do comércio mundial tem um porto como origem e destino. A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) indica ainda que em 2018 a atividade dos principais portos de contêineres da América Latina ultrapassou 53 milhões de TEUs, atingindo quase 10% da produção mundial.

“Nas últimas décadas, a região experimentou um avanço na operação de seus portos, aumentando a eficiência operacional em mais de 20%. No entanto, ainda estamos longe de países mais avançados", afirma a vice-presidente de Cloud and Cognitive Software da IBM América Latina, Natalia de Greiff. Segundo ela, a empresa traz o TradeLens para a região a fim de continuar no caminho de crescimento, usando IBM Blockchain em IBM Cloud para posicionar a América Latina nas grandes ligas comerciais do mundo.

O TradeLens interliga exportadores, linhas de navegação, operadores portuários e terminais, transporte terrestre e autoridades alfandegárias, por meio do acesso em tempo real a documentos de envio de dados, o que traz mais eficiência operacional e análise de eventos em tempo real. Atualmente, o TradeLens processa cerca de 10 milhões de eventos por semana.

“A participação em todo o ecossistema da cadeia de suprimentos está demonstrando o verdadeiro valor da plataforma digital TradeLens. Temos uma base sólida para desenvolver, por exemplo, prestadores de transporte terrestre, despachantes de carga, alfândegas e outras entidades governamentais para ingressar no ecossistema e explorar os benefícios da digitalização dos fluxos comerciais da América Latina”, diz o presidente de Maersk América Latina e Caribe, Lars Nielsen.

Entre os portos que já utilizam a plataforma estão o Terminal Zárate e o Terminal Puerto Rosario, ambos na Argentina, Terminal de Buenaventura, na Colômbia, o Porto de Santos (SP), Terminal Pacífico Sur Valparaíso e o Terminal Internacional San Vicente, dois portos instalados no Chile.

Segundo o executivo de blockchain da IBM América Latina, Martín Hagelstrom, o trabalho com a TradeLens e outras empresas do ecossistema do comércio global como terminais, entidades governamentais, empresas de transporte terrestre, entre outros, mostrou que o blockchain está sendo usado para formar uma rede forte e conectada, na qual todos os membros ganham ao compartilhar dados importantes. “Juntos, podemos transformar a maneira como o comércio é realizado em toda a região”, pontua.