Terça-feira, 3 de dezembro de 2019 - 11h48
Jungheinrich instala seu primeiro armazém automatizado LRK no Brasil
Solução foi projetada para setores que possuem um portfólio de peças e produtos pequenos e leves

A Jungheinrich acaba de implantar no Brasil o primeiro armazém automatizado LRK. Presente em 45 países, o conceito de armazenagem vertical da companhia utiliza uma tecnologia que pode economizar até 85% do espaço útil, reduzindo custos e melhorando o aproveitamento do espaço tanto em pequenos estoques quanto em grandes centros de distribuição. A solução foi instalada em uma empresa de manutenção de turbinas de avião.

O armazém automático LRK é um equipamento elétrico, fechado e com prateleiras em seus dois lados. Por meio da leitura de um código de barras ou do acionamento de um botão, as bandejas são automaticamente transportadas para o extrator situado no centro e, então, seguem para a abertura operacional.

Com largura máxima de 4 metros, ele pode ser customizado na altura em módulos de 100 milímetros, o que faz com que atenda às necessidades de capacidade, adequando-se rapidamente ao aumento e redução de demanda por meio da adição e da remoção de módulos. A solução foi projetada para setores que possuem um portfólio de peças e produtos menores e mais leves, como montadoras ou indústrias de calçados, roupas e acessórios.

Divulgação

O líder de Sistemas e Projetos Logísticos da Jungheinrich no Brasil, Markus Flotho, explica que o LRK é ideal para empresas que precisam otimizar sua área de recebimento, armazenagem, movimentação, expedição e distribuição de materiais e produtos. Além disso, reforça, tem como benefício adicional a atualização de inventário, uma vez que o sistema consegue realizar a leitura de estoque no momento da separação.

Outra vantagem do equipamento é o ganho na produtividade e a redução de erros na separação de produtos. Essa maior eficiência no picking é possível graças ao goods to man, que oferece processamento mais rápido na seleção e melhor ergonomia nas operações logísticas, além de redução de risco de danos ao operador.

A adoção de um processo de automação de armazém exige considerável investimento em equipamentos, mão de obra especializada e capacitação dos operadores. Também por esses motivos, ela precisa ser planejada. Por isso, a Jungheinrich atua tanto no fornecimento de equipamentos quanto na confecção do projeto, instalação, conexão e integração das máquinas com os sistemas de comunicação e gerenciamento de armazéns.

Além do LRK, a companhia possui outras soluções de armazém vertical automatizado, como o miniload, que apresenta zonas de reserva para separação de acordo com o método Fifo (first in first out), e a estanteria Paternoster PRK, que tem como base o conceito de transportadora flexível e se adapta às especificações individuais da operação intralogística, desempenhando de maneira robusta e com alta velocidade a seleção de pedidos.