Quinta-feira, 23 de julho de 2020 - 12h10
Iveco fabricará caminhões movidos a gás natural comprimido na Argentina
Tector GNC é dotado com seis tanques, cada um com 80 litros de volume, o que permite autonomia aproximada de 300 km

A Iveco, marca da CNH Industrial, divulga que obteve na Argentina o certificado de homologação para fabricar caminhões movidos a gás natural comprimido (GNC), com a licença Model Configuration License (MCL) para o Tector 160E21.

A nova configuração do produto oferecerá, segundo a montadora, desempenho equivalente aos caminhões movidos a diesel, com menor emissão de gases poluentes e de ruído, e também terá uma redução de custos de até dois terços em relação aos modelos movidos a combustíveis fósseis.

Divulgação

“O Tector GNC será uma das inovações de produção em nosso Polo Industrial em Ferreyra, na província de Córdoba, que retomará as atividades em agosto. Esta novidade acompanhará toda a nossa linha fabricada na Argentina, variando de veículos médios a caminhões extrapesados”, explica o líder da Iveco na América do Sul, Márcio Querichelli.

A marca, que com o lançamento de sua linha Natural Power promove combustíveis alternativos na Argentina, agora está capacitada à fabricação. O caminhão será o primeiro integrante da linha Power a ser produzido no país sul-americano. A versão 160E21 tem tração 4x2 e é impulsionada pelo motor NEF 6, ciclo Otto da FPT Industrial, com 210 hp e 750 Nm de torque.

O veículo possui seis tanques de GNC, cada um com 80 litros de volume, o que permite um alcance de aproximadamente 300 quilômetros de autonomia. Além disso, possui suspensão parabólica dianteira, caixa de câmbio mecânica de seis marchas e banco do motorista com suspensão pneumática. Destaque ainda para o interior moderno e ergonômico com a alavanca de transmissão integrada ao painel.

“Nossos especialistas realizaram uma série de testes exaustivos para obter a certificação e alcançar o objetivo final de fabricar o primeiro caminhão movido a GNC na Argentina. Essa foi uma conquista importante para a marca que contribuirá para o desenvolvimento do país e da região no que diz respeito à sustentabilidade e preservação do meio ambiente”, diz Querichelli.