Segunda-feira, 14 de setembro de 2020 - 9h34
Wilson Sons desenvolve chatbot para gestão dos rebocadores
Robô simula um ser humano em conversas virtuais, que responde a dúvidas e orienta a tripulação sobre possíveis reparos

A Wilson Sons, por meio do Tuglab, laboratório de inovação da companhia, e pelas áreas de Manutenção e TI, desenvolveu uma ferramenta para agilizar o diagnóstico e atendimento de manutenções corretivas de rebocadores. Trata-se de um chatbot, robô que simula um ser humano em conversas virtuais, que responde a dúvidas e orienta a tripulação sobre possíveis reparos em máquinas e equipamentos das embarcações.

A solução voltada para a manutenção da frota de 80 rebocadores faz parte do sistema de chatbot da Wilson Sons, que tem aplicações e funcionalidades diversas nas unidades de negócios do grupo. O gerente de Manutenção da divisão de Rebocadores da companhia, Leandro Aversa, diz que a ferramenta também ajudará a familiarização dos tripulantes, quando embarcados, com as diferentes classes de rebocadores.

Divulgação

O chatbot da manutenção é conectado à plataforma de processos de bordo dos rebocadores, que armazena dados operacionais, como nível de combustível, manobras a serem executadas e manutenções preventivas. Os primeiros testes começaram neste mês de setembro e estão sendo realizados em duas embarcações da companhia, o Andromeda, em São Francisco do Sul (SC), e o Carina, em Sepetiba (RJ).

Nos testes, serão avaliados itens como facilidade de acesso, precisão das respostas e até se os diferentes sotaques regionais brasileiros são compreendidos pelo robô. “Será uma grande evolução ter essa tecnologia a bordo, apoiando a tripulação na seção de máquinas”, conta o chefe de Máquinas, Bruno Silva, que participa do projeto piloto em São Francisco do Sul.

A solução começou a ser desenhada no início deste ano. “Partimos de duas premissas: o conhecimento dos especialistas da Wilson Sons e a necessidade de disponibilizar esse conteúdo com mais agilidade para o pessoal de bordo”, explica a gerente de Projetos do Tuglab, Simone Prado.

Nos últimos dois meses, foram realizadas entrevistas diárias com profissionais das áreas de Manutenção, TI e Tuglab para definir os parâmetros de interação. “É um trabalho bem complexo, que envolve 11 classes de rebocadores, com diferentes equipamentos e funcionalidades”, ressalta Simone.

A gerente de projetos explica ainda que o sistema vai aprendendo com as interações. “Quanto mais informação, melhor fica a ferramenta”. A expectativa é que até o fim do ano o chatbot esteja apto a ser utilizado em grande parte da frota.

O projeto é mais uma das iniciativas da Wilson Sons. No início do ano, a empresa lançou o sistema de inteligência artificial para rebocadores. Desenvolvido pelo Tuglab junto a startups, o software é utilizado para o planejamento de manobras e está em operação nas filiais do Rio de Janeiro, Vitória e Santos (SP).