Quinta-feira, 17 de setembro de 2020 - 9h13
Portonave investe R$ 16,6 milhões na aquisição de carretas e empilhadeiras
Ao todo, foram comprados 25 terminal tractors e duas empilhadeiras movidas a bateria de lítio

A Portonave, porto privado localizado na foz do rio Itajaí (SC), investiu R$ 16,6 milhões e adquiriu 25 terminal tractors (carretas reforçadas para a movimentação de contêineres dentro do porto) e duas empilhadeiras movidas a bateria de lítio. A compra tem como meta reduzir os custos e aumentar a eficiência, segurança e confiabilidade das operações do porto, além de proporcionar mais conforto aos profissionais que as operam, porque os ativos não produzem calor e nem ruído.

De acordo com a companhia, as carretas e empilhadeiras possuem alta tecnologia, maior capacidade de carga, incluindo melhorias em ergonomia para os operadores, e são equipamentos de ponta, utilizados pelos principais terminais do mundo. “A Portonave preza por possuir em seu parque de equipamentos os mais modernos e eficientes do mercado, sendo esse um dos motivos dos altos níveis de produtividade e eficiência do terminal, referência mundial no segmento portuário”, diz o gerente de Operações, Emanuel Jorge.

Divulgação

A empresa possui atualmente 40 terminal tractors em operação e os novos equipamentos chegam para substituir 25 mais antigos, em operação desde 2007. O gerente de Manutenção, Marcelo Diniz, afirma que a capacidade das novas carretas é 25% superior frente aos equipamentos que serão substituídos. “Eles possuem estrutura robusta e reforçada, melhor amortecimento e estão preparados para o aumento de volume da operação”, resume.

Já as duas empilhadeiras elétricas com bateria de lítio chegam para trazer melhorias quando comparadas aos equipamentos movidos a gás liquefeito de petróleo (GLP). As novas empilhadeiras EFG 425K já estão trabalhando no armazém do terminal e, segundo informações da Portonave, são as primeiras movidas a eletricidade em operação de portos da Região Sul do Brasil.

As novas máquinas também reforçam a estratégia da Portonave de substituir o consumo de energias fósseis por energias limpas e renováveis, uma transformação já iniciada com a aquisição dos trânstêineres (RTGs) elétricos do terminal.