Segunda-feira, 5 de outubro de 2020 - 10h38
Porto do Açu inicia as operações com fertilizantes no T-Mult
Expectativa é que 150 mil toneladas do produto sejam escoadas pelo terminal

O Porto do Açu (RJ) iniciou as operações com fertilizantes e colocou o estado do Rio de Janeiro no mapa do produto no Brasil. O estado era o único da costa nacional do Rio Grande do Sul até a Bahia que ainda não realizava este tipo de movimentação em navios a granel. A primeira operação foi realizada via Terminal Multicargas (T-Mult) e importou 25 mil toneladas de cloreto de potássio para o interior do estado de Minas Gerais.

Com origem em São Petersburgo, na Rússia, o navio MV PALEKH aportou no Açu no último dia 23 de setembro. A operação foi possível devido à expansão do T-Mult, com a instalação de um armazém coberto. Apenas no primeiro ano de contrato, a expectativa é que 150 mil t de fertilizantes sejam escoadas por este terminal, que possibilitará a conexão global do estado do Rio de Janeiro com os produtores destes insumos, principalmente para os estados que não possuem acesso ao mar, como Minas Gerais.

“Fora da temporada de importação de fertilizantes, há também a possibilidade de estocar e movimentar outros tipos de produtos, como graneis sólidos agrícolas e minerais. Montamos dois galpões lonados, com área de 6 mil m² e capacidade para armazenar 25 mil t de insumos por mês”, explica o diretor de Terminais e Logística do Porto do Açu, João Braz,.

O Brasil importa cerca de 80% dos fertilizantes que consome localmente. Com este serviço no portfólio, o Porto do Açu busca atender a demanda interna, principalmente o mercado de Minas Gerais, nas regiões leste, sul e centro do estado, onde há uma grande base de distribuidoras instaladas.

Este projeto é considerado o embrião para a fase de industrialização do Porto do Açu no setor petroquímico, que será consolidada com a atração de indústrias para este fértil ambiente de negócios do Norte Fluminense. O plano de ampliação do T-Mult, previsto para os próximos cinco anos, inclui aumento do cais e do pátio para granéis, a construção de um pátio dedicado a cargas gerais e contêineres e novos galpões para armazenamento.