Terça-feira, 9 de março de 2021 - 10h00
Norsul e Geosaker desenvolvem metodologia para a vistoria e inspeção de embarcações
Solução, empregada na verificação de ativos de grande porte, reúne tecnologia 4.0 e Internet das Coisas

A Norsul em conjunto com a Geosaker, empresa de logística que desenvolveu uma nova metodologia de vistoria, reunindo tecnologia 4.0 e a Internet das Coisas (IoT), desenvolveram uma metodologia e estão realizando vistorias e inspeções de embarcações de grande porte.

O engenheiro e gerente executivo Operacional da Norsul, Leonardo Brum, conta que a empresa já estava trabalhando com foco nas inovações tecnológicas e na IoT e no que essas novas dinâmicas podem proporcionar em termos de agilidade, redução de custos e ganhos de eficiência em diferentes áreas da companhia.

Segundo o CEO e diretor de ativos da Geosaker, Júlio Hermes, método empregado consiste na captura dados de forma integrada e de maneira mais eficiente utilizando informações por meio de inteligência artificial e da tecnologia 4.0. “Ainda, usa realidade virtual e mista para promover o compartilhamento de informações a distância em transmissões ao vivo e interações on-line e on time”, diz.

O executivo revela que o projeto foi iniciado em 2019. Ele explica que o trabalhoo inicial consistiu em empregar drones para inspeções de cascos, unindo a isso à gestão de dados. “Realizamos mais testes e fomos adicionando outras etapas e soluções ao nosso método como veículos submarinos remotos (ROVs)”, explica Hermes.

Divulgação

Entre as vantagens da nova metodologia as empresas destacam o uso otimizado de recursos que, antes, pelo processo de inspeção de casco tradicional, eram mais onerosos. Outro ponto é a segurança uma vez que os riscos das operações de mergulho para observação da estrutura submersa eram maiores antes da adoção da nova metodologia. “A utilização dos drones e de veículos submarinos remotos reduz custos em operações complexas de mergulho ao mar e garante mais segurança aos mergulhadores, que passam a realizar essas explorações já tendo análises mais apuradas dos reparos a serem feitos”, pontua Brumd, a Norsul.

O gerente executivo Operacional da Norsul também ressalta que o desenvolvimento e a adoção das inspeções inteligentes e mediadas pela tecnologia se deram, entre outras coisas, pelo esforço que a companhia tem feito na redução do uso de combustível pelas embarcações. “Com os drones subaquáticos, conseguimos monitorar de forma mais apurada o acúmulo de incrustações que aumentam o uso de combustível e a redução da capacidade de transporte de carga das nossas embarcações”, complementa.

Inspeções

A bordo da embarcação, um técnico piloto de ROV guia o drone submarino em sua jornada de inspeção para a captação de imagens do casco e outros elementos submersos. A tripulação da embarcação responsável pelas inspeções pode participar ativamente da observação da estrutura por meio de um simples smartphone. O processo pode ainda ser acompanhado por meio de óculos de realidade mista, que oferece imagens virtuais, mas permite ao usuário a visão do entorno. À distância, com transmissão ao vivo e on time, gestores da Norsul e técnicos da Geosaker podem participar das inspeções e análises de rotina.

De cima, drones são responsáveis pela captação de imagens, que podem ser tanto destinadas a inspeções com finalidade regulatória ou de rotina.

Para o caso de monitoramento de rotina, há ainda a possibilidade da instalação de câmeras na estrutura da embarcação para gestão constante de ativos e outros tipos de monitoramento, como o de uso de EPIs e detecção de comportamentos de risco por parte de colaboradores às operações, ao meio ambiente e à população, por exemplo.

As informações provenientes das inspeções ou de rotina são reunidas, armazenadas e processadas pelo aplicativo da Geosaker, que elabora análises e relatórios. O app atua ainda na emissão de alertas imediatos à tripulação em casos de não conformidades e do não cumprimento de normas e regulamentos a bordo.