Quarta-feira, 7 de abril de 2021 - 12h38
MRS e Bracell desenvolvem projeto logístico integrado para escoar produção
Destaque para a construção do Terminal Intermodal em Pederneiras, que fará o transbordo da celulose para o envio dos produtos via linha férrea até o Porto de Santos

A fabricante de celulose Bracell firmou um acordo junto à MRS a fim de estruturar a logística que será empregada para escoar a produção da nova fábrica da indústria localizada em Lençóis Paulista (SP). Entre as iniciativas está a construção de uma base operacional em Pederneiras (SP), que prestará suporte às movimentações da planta que tem previsão de iniciar os trabalhos no segundo semestre deste ano.

O volume produzido exigirá uma complexa operação logística para o transporte da celulose de Lençóis Paulista até o Porto de Santos (SP). Caminhões vão transportar o produto até o Terminal Intermodal em Pederneiras, que seguirá na malha operada pela MRS até os terminais no Porto de Santos. O trajeto da ferrovia de Pederneiras até Santos tem um percurso de 510 km.

Os cem primeiros vagões já foram entregues e estão prontos para iniciar as atividades. Produzidos pela Greenbrier Maxion, ao todo serão 463 vagões do modelo total sider FTT, que se caracterizam pela abertura de lona em toda a lateral do vagão. Equipado com o truque tipo Motion Control que se adequa às condições operacionais das ferrovias brasileiras, o FTT traz vantagens em relação aos modelos mais antigos, como redução da tara do vagão, aumento na capacidade de carga por trem e por vagão, além de melhor ergonomia na operação e estanqueidade, evitando perda da carga com entrada de água durante o período de chuvas.

As composições vão operar 24 horas, durante os 365 dias do ano. Cada uma será composta por 60 vagões e transportará o equivalente a 113 caminhões.

Para o Head de Supply Chain da Bracell SP, Alberto Pagano, a solução logística adotada pela empresa, priorizando o modal ferroviário, traz uma série de benefícios que estão aliados com o meio ambiente e à sustentabilidade do negócio, como a redução no volume de emissões atmosféricas no escoamento da produção.

“Além da aderência às diretrizes de sustentabilidade da Bracell, as operações logísticas trarão oportunidades de trabalho tanto na região próxima à fábrica quanto no Porto de Santos. A entrega dos primeiros vagões é um importante marco no avanço do projeto que vai garantir a exportação da Bracell”, diz Pagano.

Já o presidente da MRS, Guilherme Mello, ressalta que o acordo é mais uma prova dos esforços da MRS para alavancar mais o transporte de carga geral pela ferrovia. “Em conjunto com a Bracell, desenhamos uma solução customizada para o melhor atendimento ao cliente, uma conduta que viemos intensificando nos últimos anos e que será ainda mais presente no nosso dia a dia com a oficialização da renovação da nossa concessão.”