Quinta-feira, 8 de abril de 2021 - 10h34
Abetre apresenta web service de comunicação sobre transporte de resíduos
Ferramenta envia e recebe dados dos usuários, sendo eles geradores, destinadores, transportadores, armazenadores temporários ou ainda uma combinação deles

A Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre) lançou o web service, recurso de utilização gratuita para integração entre sistemas para comunicar informações relativas ao transporte de resíduos. A iniciativa insere-se no contexto da Portaria nº 280, de 29 de junho de 2020, do Ministério do Meio Ambiente, que estabeleceu a data de 1º de janeiro de 2021 para início da obrigatoriedade de utilização do Módulo Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR) em todo território nacional.

Segundo a entidade, para facilitar o cumprimento da exigência, em São Paulo, o Acordo de Cooperação, entre a Abetre e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), garantiu o Sistema de Gerenciamento Online de Resíduos – Sigor Módulo MTR, em operação desde o início deste ano e outras ferramentas que chegarão.

“A novidade já está disponível no Estado de São Paulo, a exemplo do que já havíamos feito no Sul, em Minas Gerais e que, paulatinamente, será estendida a todo o Brasil”, informa o presidente da Abetre, Luiz Gonzaga.

A plataforma agrega-se ao processo, facilitando a integração de todas as informações e, de forma gratuita, oferece a todos a possibilidade de integração de seus sistemas ao MTR. “O recurso permite aos usuários intensivos do MTR, enviar e receber dados com mais agilidade, diretamente dos softwares que cada ponta tem, permitindo maior segurança e dinamismo nessas operações”, garante Gonzaga.

O web service envia e recebe automaticamente dados dos usuários, sendo eles geradores, destinadores, transportadores, armazenadores temporários ou ainda uma combinação deles, considerando sua atividade e suas licença ambientais, que buscam códigos de resíduos e dos transportadores, na emissão e recebimento do MTR, assim como na emissão de CDF. É um instrumento de ligação entre sistemas, acessível para todos os que utilizam o Sigor MTR. “Trata-se de uma ferramenta que amplia a produtividade das empresas, ao permitir a centralização de dados, sem perda de tempo. Promove a comunicação entre sistemas. Com a nova plataforma, não é mais necessário fazer a transposição de dados. Assim, além da agilidade, aumenta a confiabilidade, pois diminuem os erros de digitação e o retrabalho”, afirma o presidente.

O novo sistema também abre espaço para que as empresas façam a comunicação de dados de modo mais eficaz. Promove o desenvolvimento nas duas pontas, somando o Sigor MTR com o sistema das companhias coletoras e transportadoras de resíduos, que começam a conversar entre si.

Vale ressaltar ainda que o Sigor MTR se destina a atender à necessidade de controle, segurança e rastreabilidade dos geradores e destinadores de resíduo. Para isso, suas principais funcionalidades são rastreabilidade total entre origem e destino, inclusive se houver armazenamento temporário, acompanhamento e registro histórico de ajustes quantitativos e qualitativos, disponibilização simultânea das informações para todos os agentes e emissão de Certificado de Destinação Final (CDF), baseada em registros confiáveis.