Quinta-feira, 15 de julho de 2021 - 15h24
Wilson Sons implementa estufagem de trigo em contêineres no Tecon Rio Grande
Sistema tem como vantagens o transporte em menores quantidades e a possibilidade de ampliação dos negócios para produtores de menor porte

A Wilson Sons implementou um projeto inédito no Tecon Rio Grande (RS) de estufagem de trigo a granel em contêineres. O projeto, feito em parceria com as empresas Gomes e Marques, Aliança Navegação e Suporte Corretora, já está em funcionamento em operações de cabotagem para o Amapá e, de acordo com a própria Wilson Sons, apresenta grande potencial também para operações de exportação.

A estufagem em contêiner abre a possibilidade de produtores alcançarem e captarem novos mercados, uma vez que não é necessário o afretamento de um navio com o produto, como ocorre no caso do granel. Isso beneficia os produtores menores que, com menos investimentos e mesmo em períodos de entressafra, conseguem atingir mercados distantes. Além do acesso a mercados alternativos, outros benefícios da modalidade são o menor índice de perda de grãos e o baixo custo em despesas extras, além da independência das condições climáticas para sua realização.

A operação de estufagem é realizada com um basculador de contêiner. Nos casos em que o trigo chega em carretas graneleiras, o material é tombado numa moega e transferido para um silo, para que então seja realizado o carregamento diretamente no contêiner.

Gustavo Leite, diretor da Suporte Corretora, consultoria de grãos que presta apoio a cerealistas e cooperativas, relata que uma das vantagens da estufagem é a flexibilidade do embarque, que permite o envio de mercadorias com uma frequência muito maior que em uma operação granel. Outro benefício é a possibilidade de expandir negócios. “A logística em contêiner permite a descarga em portos alternativos, possibilitando a expansão da oferta a outros clientes. Realizamos a primeira operação com um embarque para Santana, no Amapá, e justamente por ser nesta modalidade se viabilizou o acesso a um novo cliente”, conta.

Outro ponto positivo é a confiabilidade do produto, já que não há perda de identidade. No caso do granel, padrões de diferentes qualidades enchem o silo graneleiro. “A segregação do produto é um aspecto importante na estufagem, pois garante que não se perca a identidade do grão e permite rastreabilidade do produto, reduzindo riscos de contaminação”, diz Leite.

 “O Tecon Rio Grande tem serviços semanais, tanto de cabotagem como de longo curso possibilitando acesso ao trigo gaúcho para todos os continentes. Isso é um grande diferencial para o segmento de grãos, já que abre a possibilidade de operar com um estoque menor, ou seja: embarques fracionados, maior giro da mercadoria e ganho de fluxo de caixa”, completa Paulo Bertinetti, diretor-presidente do Tecon Rio Grande.