Sexta-feira, 17 de setembro de 2021 - 9h54
Braskem reduz emissão de gases com logística multimodal da Wilson Sons
Mais sustentável, navegação interior é a aposta no estado do Rio Grande do Sul

No primeiro semestre deste ano, a petroquímica Braskem reduziu em 83% a emissão de gases do efeito estufa com o transporte de contêineres por vias fluviais. Entre os meses de janeiro e junho 49% de todos os contêineres carregados com produtos da Braskem foram transportados via Tecon Santa Clara (RS) por barcaças até o Tecon Rio Grande (RS), terminais pertencentes à Wilson Sons. Da lá, eles foram embarcados em navios de cabotagem e de longo curso para exportação.

“O cálculo das emissões utiliza a metodologia do Programa Brasileiro GHG Protocol e leva em consideração a quantidade de combustível utilizado por caminhões e pelas barcaças para o transporte do mesmo volume de carga, no percurso entre Triunfo e Rio Grande”, explica Cleiton Lages, gerente de Saúde, Meio Ambiente e Segurança do Tecon Rio Grande.

Divulgação

Em 2016, a parceria entre o Tecon e a Braskem reativou o Píer IV do Terminal Santa Clara e marcou a retomada do transporte de carga pelo Rio Jacuí. A iniciativa segue sendo vista pelo mercado como uma alternativa ambientalmente mais limpa e importante para redução de custos logísticos e operacionais.

“A parceria com o Tecon Rio Grande, por meio do Tecon Santa Clara, é mais uma iniciativa para atingir o compromisso da Braskem de se tornar uma empresa carbono neutro até 2050.  A redução de emissão de gases alcançada com o uso do modal hidroviário demonstra que é possível adotar medidas que geram mudanças positivas que impactam as pessoas, a sociedade e o meio ambiente”, afirma Daniel Fleischer, gerente de Relações Institucionais da Braskem no Rio Grande do Sul.

Hoje a operação da Wilson Sons entre o Tecon Santa Clara e o Tecon Rio Grande é a que mais movimenta cargas em contêineres por via fluvial no Brasil, de acordo com o ranking do Anuário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). No primeiro semestre deste ano, 7% dos TEUs movimentados no Tecon Rio Grande foram provenientes da navegação interior.

Com duas barcaças, o Tecon Santa Clara mantém quatro escalas semanais em Rio Grande. Os produtos de importação, exportação e cabotagem têm como origem ou destino as cidades de Farroupilha, Carlos Barbosa, Garibaldi, Caxias do Sul, Veranópolis, Cruz Alta, Lajeado, Taquari e Serafina Corrêa. Além de resinas, as principais cargas transportadas são madeira, borracha e frango congelado. Entre os serviços disponibilizados pelo terminal, está a possibilidade de estufar e desovar produtos nos contêineres.

“O Tecon Santa Clara é um projeto que vem se mostrando uma excelente alternativa, visto que o mercado identifica na navegação interior uma boa oportunidade para movimentar suas cargas de forma sustentável e com maior eficiência”, avalia Paulo Bertinetti, diretor presidente do Tecon Rio Grande.