Quinta-feira, 14 de outubro de 2021 - 10h34
Maplink desenvolve recurso com informações sobre o sistema livre de passagem
Com a novidade, é possível calcular os pedágios proporcional à distância percorrida pelo motorista

A Maplink, que desenvolve tecnologia de Geolocalização, desenvolveu um novo recurso que está disponível na Toll API, que trará informações sobre o sistema livre de passagem (Free Flow), conforme exigido pela Lei nº 14.157. A partir de agora, além do cálculo de pedágio por meio das praças, também é possível calcular os pedágios proporcional à distância percorrida pelo motorista, antes mesmo de iniciar a sua rota.

O novo recurso foi desenvolvido pela organização para uso corporativo, alinhado com a estratégia das empresas que precisam dessas informações para otimizar os custos logísticos em suas rotas traçadas, além de facilitar o cumprimento da lei de trânsito.

“A Maplink está em constante evolução e trabalhamos em conjunto para desenvolver essa nova funcionalidade que atenda a lei e para otimizar tempo e dinheiro de quem utiliza os nossos serviços. Além disso, a ferramenta  também auxilia no desenvolvimento da mobilidade urbana com uma dinâmica que atende os caminhoneiros de forma mais justa”, afirma o CTO da Maplink, Victor Trafaniuc.

Atualmente o sistema de livre passagem está implementado em quatro rodovias de São Paulo, disponível mediante cadastro dos usuários com as concessionárias participantes, e em breve funcionará nas rodovias federais

Desde março de 2001 é obrigatório o pagamento do vale pedágio aos motoristas autônomos e transportadoras que fornecerem o serviço de transporte de cargas, conforme instituído na lei nº 10.209. Isso significa que o custo do pedágio não pode ser embutido no valor do frete contratado, sendo assim necessário o cálculo prévio exato dos valores que serão cobrados durante a rota.

 “Nossa missão é facilitar o dia a dia de empresas que necessitam de tecnologias que estejam avançadas e assim, também facilitamos a vida dos brasileiros nas rodovias. Esses são apenas os primeiros passos do que podemos construir com a plataforma e contribuir para um futuro das estradas mais tecnológico e prático”, pontua Trafaniuc.