Ibovespa
125.124,30 pts
(0,75%)
Dólar comercial
R$ 5,20
(-0,96%)
Dólar turismo
R$ 5,41
(-1,20%)
Euro
R$ 5,54
(-0,86%)

Um passo natural na busca de nossa estratégia de integração, diz head da Maersk sobre fim da Aliança 2M

Parceria entre MSC e Maersk durou oito anos
Por Raphael Minho e Shirley Simão em 8 de fevereiro de 2023 às 13h00
Um passo natural na busca de nossa estratégia de integração, diz head da Maersk sobre fim da Aliança 2M

Parceiras há oito anos, a MSC e Maersk anunciaram em janeiro o fim da Aliança 2M. As empresas vão romper os laços estratégicos em 2025 quando a parceria completará 10 anos. 

O contrato assinado há oito anos, com duração mínima de 10 anos, dividia as rotas do transporte marítimo, proporcionando uma maior competitividade no negócio de carga entre Ásia e Europa e nas regiões do Pacífico e Atlântico.

"A Aliança 2M tem sido benéfica para ambos os lados e para os clientes, aumentando a competitividade em nossos serviços, economia de custos e flexibilidade operacional. Apreciamos a parceria com a MSC e esperamos continuar a colaboração pelo restante do período do contrato", disse Johan Sigsgaard, Head of Ocean Products da Maersk à Tecnologística.

LEIA TAMBÉM: Maersk inicia transição energética e implanta tecnologias sustentáveis no Brasil

De acordo com Sigsgaard, a decisão é um "passo natural" na busca pela estratégia de integração da empresa. "Desde que a 2M foi formada em 2015, a estratégia da Maersk mudou, assim como as necessidades de nossos clientes. A Maersk quer acelerar para se tornar um fornecedor integrado de logística, conectando e simplificando as cadeias de suprimentos de nossos clientes", completou.

Um passo natural na busca de nossa estratégia de integração, diz head da Maersk sobre fim da Aliança 2M

Entre essas mudanças, Sigsgaard citou que em 2015, a empresa tinha como um dos principais desafios a introdução gradual de navios significativamente maiores e a garantia de carga suficiente para que esses navios de alta capacidade mantivessem os níveis de utilização necessários. Atualmente, há uma frota bem equilibrada para atender às necessidades de volume da Maersk.

"O desafio do integrador em 2025 é conectar melhor nossas redes oceânicas e terrestres. Há vários anos, investimos fortemente para nos tornarmos uma empresa de logística integrada de ponta a ponta. Isso requer que controlemos os ativos de rede corretos. Ao aumentar significativamente o controle de nossa rede, podemos cumprir melhor nossa promessa ao cliente", finalizou.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar