Ibovespa
125.946,09 pts
(-1,14%)
Dólar comercial
R$ 5,12
(0,61%)
Dólar turismo
R$ 5,34
(0,76%)
Euro
R$ 5,45
(-0,23%)

Programa de logística reversa Mãos Pro Futuro recupera 163 mil toneladas de embalagens em 2022

Iniciativa é da indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos
Por Redacción el 12 de abril de 2023 a las 11h05 (atualizado às 11h29)
Programa de logística reversa Mãos Pro Futuro recupera 163 mil toneladas de embalagens em 2022

O programa de logística reversa pioneiro no Brasil "Mãos Pro Futuro", criado e coordenado pela Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) e realizado em parceria com Associação Brasileira Inds Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes (Abipla) e Abimapi, registrou 163.845 toneladas de massa de embalagens recuperadas e encaminhadas para reciclagem em 2022. O volume é 11,3% maior que o apurado no balanço de 2021.

"Essa tendência de crescimento nos resultados dá a todos os envolvidos com o Mãos Pro Futuro confiabilidade, estabilidade e previsibilidade quanto ao atendimento de metas exigidas pelas diferentes regulamentações governamentais, sejam elas em nível federal ou estadual", afirma João Carlos Basilio, presidente-executivo da ABIHPEC.

Durante o ano passado, o programa ampliou a parceria com cooperativas de catadores de materiais recicláveis e a presença da iniciativa em todo o território nacional. Atualmente, 182 organizações de catadores atuam em 165 municípios do Brasil que integram o Mãos Pro Futuro. Com isso, os mais de 6 mil catadores apoiados pela iniciativa tiveram renda média mensal 16% acima do salário-mínimo nacional do ano passado.

Segundo o levantamento realizado junto às 182 cooperativas e associações participantes do programa, atualmente, 56% dos cooperados são mulheres e 44% homens, dado semelhante ao de 2021, o que reforça o protagonismo feminino como profissional de reciclagem.

LEIA TAMBÉM: Região Amazônica tem o primeiro porto sustentável com certificado AQUA no Brasil

"Além de auxiliar as empresas no cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos, no plano ambiental, o programa estimula a reciclagem, e no plano econômico fortalece e formaliza a cadeia de reciclagem, que hoje protagoniza um elo de suprimentos importante para uma transição eficiente em prol da Economia Circular. Já no plano social, valoriza e empodera os trabalhadores da reciclagem, a fim de que essa nova economia, além de prezar pela circularidade de nossos recursos, seja também mais inclusiva", explica Rose Hernandes, diretora executiva de Meio Ambiente da ABIHPEC e coordenadora do programa.

No total são 966.345 toneladas de resíduos recuperados de 2013 a 2022, fruto de um investimento de R$ 138 milhões, realizado prioritariamente em associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis. Os recursos são utilizados na melhoria de infraestrutura, aquisição de equipamentos e caminhões, pagamento por tonelada recuperada, capacitação e assessoria técnica, software de gestão, divulgação, entre outros.

O programa estima que de 2013 a 2022, aproximadamente 3,7 milhões de toneladas de CO² deixaram de ser emitidas só pelo fato de que toda essa massa recuperada foi reincorporada no processo produtivo, evitando o uso de insumos primários. Além disso, pelo mesmo motivo, houve uma economia estimada no setor produtivo de R$ 710 milhões em custos econômicos e ambientais, o que engloba por exemplo, economia em energia, consumo de água, em perda de biodiversidade, além de uma solução de baixa emissão de gases de efeito estufa (GEEs).

Utilizamos cookies y tecnologías similares para mejorar su experiencia, analizar estadísticas y personalizar la publicidad. Al acceder al sitio web, acepta este uso, de acuerdo con la Política de Privacidad.
Aceptar
Administrar