Ibovespa
125.148,07 pts
(-0,34%)
Dólar comercial
R$ 5,13
(-0,74%)
Dólar turismo
R$ 5,34
(-0,93%)
Euro
R$ 5,49
(-0,27%)

Hidrovias do Brasil apresenta maior resultado em um único trimestre

Companhia apresentou recorde de volume e ultrapassou R$ 1 bilhão em receita no primeiro semestre de 2023
Por Redacción el 18 de agosto de 2023 a las 8h00
Hidrovias do Brasil apresenta maior resultado em um único trimestre
Foto: Divulgação / Hidrovias do Brasil
Foto: Divulgación / Hidrovias do Brasil

A empresa de soluções logísticas Hidrovias do Brasil divulgou os resultados do segundo trimestre e do primeiro semestre de 2023 com recordes de volume e receita. A companhia alcançou 5,1 milhões de toneladas movimentadas no trimestre, com crescimento em todos os corredores logísticos. O número é 10,3% maior em comparação com o mesmo período do ano anterior, que também havia sido um recorde.

Já a receita operacional líquida foi a maior apresentada em único trimestre, com crescimento de 12,7% em relação ao mesmo período de 2022, totalizando R$ 567 milhões. No semestre, a receita ultrapassou R$ 1 bilhão, aumento de 20,5% em relação ao semestre anterior. E pela quinta vez consecutiva, houve crescimento no EBITDA ajustado + EBIDTA das JV's se comparado com os mesmos períodos dos anos imediatamente anteriores, somando R$ 299 milhões no segundo trimestre de 2023, número 11,7% maior em relação ao mesmo período de 2022.

O CEO da Hidrovias do Brasil, Fabio Schettino, destaca os resultados obtidos pela empresa: "Encerramos o segundo trimestre de 2023 apresentando mais um recorde de volume e o maior resultado já obtido em um único trimestre pela companhia, que por mais expressivo que seja, ainda segue aquém da nossa capacidade plena já instalada, já que o terminal de Santos está em fase de crescimento da curva de volume", conta.

Ainda de acordo com Schettino, a companhia entrará agora em um novo ciclo. "A companhia conclui agora o primeiro ciclo de investimentos com o término do pagamento dos novos empurradores troncais e dos híbridos de manobra - que serão utilizados no Corredor Norte - e do investimento no desenvolvimento da expedição pelo modal ferroviário em Santos, para que, a partir de 2024, consigamos demonstrar geração de caixa significativa, que continuará sendo direcionada para desalavancagem, sem renunciar a oportunidades de crescimento no curto prazo", explica.

Recentemente, a companhia anunciou ao mercado que ampliará sua capacidade no Sistema Norte em 700 mil toneladas, após vencer processo eletivo simplificado para operar com navios fundeados no espelho d'água no sistema de transbordo direto de barcaças para navios no CDP – porto público de Barcarena.

A empresa também teve uma redução de 1,7x no indicador dívida líquida/EBITDA em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando 4x. Para o CFO da Hidrovias do Brasil, Ricardo Pereira, a companhia está fazendo o trabalho de desalavancagem de forma estruturada: "Há alguns anos, a companhia tem realizado apenas movimentos conscientes e diligentes de investimentos. A empresa está há quatro trimestres reduzindo a desalavancagem. Já reduzimos mais de R$500 milhões da dívida líquida e contamos com um perfil de dívida longa e barata. Estamos buscando chegar em 3x e 3,5x de alavancagem até o fim do ano que vem", analisa o executivo.

 

Utilizamos cookies y tecnologías similares para mejorar su experiencia, analizar estadísticas y personalizar la publicidad. Al acceder al sitio web, acepta este uso, de acuerdo con la Política de Privacidad.
Aceptar
Administrar