Ibovespa
120.445,91 pts
(0,15%)
Dólar comercial
R$ 5,46
(0,38%)
Dólar turismo
R$ 5,66
(0,02%)
Euro
R$ 5,85
(0,01%)

Porto Itapoá inaugura 3ª fase de expansão com investimentos de R$ 815 milhões

O porto já investiu R$ 2,5 bilhões ao todo no projeto, e tem mais de R$ 2 bilhões planejados para os próximos anos
Por Redacción el 30 de abril de 2024 a las 9h59
Porto Itapoá inaugura 3ª fase de expansão com investimentos de R$ 815 milhões
Foto: Divulgação / Porto Itapoá
Foto: Divulgación / Porto Itapoá

O Porto Itapoá inaugurou, na última quinta-feira (25/04), a fase III de expansão do terminal, com mais 200 mil m² de pátio, contemplando o armazém de 8 mil m², finalizando um aporte de R$ 815 milhões. Com essa ampliação, o Porto Itapoá passa operar um dos maiores pátios de contêineres do Brasil, com 455 mil m², o que vai lhe proporcionar a capacidade de movimentar até 2 milhões de TEUs por ano. Faz parte destes investimentos também a aquisição de grandes equipamentos - o porto é o primeiro da América do Sul a operar RTGs (guindastes sobre rodas) híbridos controlados remotamente - e ampliação dos berços de atracação.

Em seu discurso, o presidente do Terminal, Cássio Schreiner, afirmou que na totalidade de seu projeto o Porto Itapoá já investiu R$ 2,5 bilhões e, para os próximos anos serão mais de R$ 2 bilhões planejados. "Nos últimos anos, fomos uma das empresas que mais investiu em nossa região. E não pretendemos parar por aqui. Já estamos planejando as obras para adicionar mais pátio, mais píer, mais equipamentos e ainda muito mais pessoas", anuncia.

Cássio aponta que para estes investimentos se concretizarem é fundamental que projetos estruturantes sejam priorizados. "Temos trabalhado a oito mãos, juntamente com o Governo Federal, Governo Estadual e Autoridade Portuária de São Francisco do Sul, para viabilização do projeto de dragagem do Canal de Acesso à Baía da Babitonga – que movimenta mais de 60% das cargas portuárias do Estado de Santa Catarina", reforça.

O presidente também aponta a importância de um olhar estratégico para as estruturas rodoviárias e até ferroviárias, sendo vital a priorização da duplicação das rodovias estaduais e municipais de acesso ao Porto Itapoá. "Acreditamos no potencial e na oportunidade de termos aqui na Babitonga, o maior complexo portuário do país", completa.

O evento de inauguração contou com a presença do Governador do Estado de Santa Catarina, Jorginho Mello, do Secretário Estadual de Portos, Aeroportos e Ferrovias, Beto Martins, do Prefeito de Itapoá, Jeferson Garcia, autoridades das diversas esferas, órgãos intervenientes, entidades, clientes, funcionários e imprensa O Ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, se deslocou de Brasília até Joinville e não conseguiu chegar em Itapoá pelas condições climáticas, mas enviou um vídeo lamentando não estar presente e ratificando a importância do Porto Itapoá para a infraestrutura logística do país.

 

Crescimento impulsionado por grandes investimentos

O Porto Itapoá está na 4ª posição no ranking Desempenho Aquaviário 2023 de acordo com a ANTAQ - Agência de Transportes Aquaviários. Foi o terminal de contêineres de uso privado com maior crescimento do Brasil no ano de 2023 com um aumento de 20,3% na movimentação em relação a 2022.

O porto tem feito investimentos constantes para atender à demanda e acelerar o crescimento do empreendimento. Em dezembro chegaram novos equipamentos do Terminal: um novo portêiner, de 50m de altura, e dez novos RTGs híbridos controlados remotamente, os quais totalizaram investimentos de US$ 40 milhões. Com as obras de ampliação de sua estrutura física, passando pelos significativos investimentos em tecnologia e inovação, o Porto Itapoá ultrapassou a marca de 1 milhão de TEUs movimentados em um ano. "Temos crescido ano após ano, estando sempre entre os maiores terminais de contêineres do Brasil desde o início das operações. Nosso planejamento é desenvolvido para alcançarmos três objetivos: gerar valor social, ambiental e econômico", fala Schreiner.

Do total de cargas movimentadas pelo Porto Itapoá cerca de 50% são de empresas de outros estados que buscam a eficiência do Terminal catarinense, principalmente para a importação de eletrônicos, entre outros itens. A outra metade da movimentação é de cargas de companhias de Santa Catarina, incluindo automóveis e autopeças, motores elétricos, metalmecânica, linha branca e exportação de carga frigorificada, atendendo a forte agroindústria do Estado.

  

Complexo Portuário da Babitonga

O Complexo Portuário da Babitonga responde por quase 60% da movimentação (em toneladas) do setor de Santa Catarina, de acordo com dados da ANTAQ de 2019. Segundo a administração do Porto Itapoá, o Complexo está se consolidando em um modelo de investimentos em infraestrutura e logística para o desenvolvimento econômico sustentável.

A nova onda de investimentos atraídos pela região poderá triplicar o total de empresas portuárias e retroportuárias operando na região, além de outras operações logísticas, gerando emprego, renda e desenvolvimento para a área.

Especialistas em inteligência de mercado estimam que, em 10 anos, a área de influência direta do Complexo da Babitonga tem potencial de saltar de 16 para 48 empresas portuárias e retroportuárias com investimentos privados diretos que podem chegar na casa dos R$ 15 bilhões, passar de uma geração de renda anual de R$ 300 milhões para R$ 1,8 bilhão e saltar dos atuais 8.500 empregos para 45 mil oportunidades de novas vagas.

 

Ampliação do canal de acesso e projetos de infraestrutura rodoviária

Para suportar esse crescimento do Complexo Portuário da Babitonga e estar aptos a receber os maiores navios da navegação comercial mundial, estão sendo definidos projetos de infraestrutura logística. O Porto Itapoá trabalha em parceria com o Porto de São Francisco do Sul, que está à frente do projeto de dragagem de aprofundamento do canal de acesso à Baía. Essa obra vai ampliar de 14 metros para 16 metros a profundidade do calado dos navios, permitindo receber grandes embarcações de até 400 metros.

Haverá também investimentos do Governo do Estado, na adequação e duplicação das rodovias SC 417 e 416. Ambas as obras são demandas compartilhadas pelo Caderno de Infraestrutura da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina.

Utilizamos cookies y tecnologías similares para mejorar su experiencia, analizar estadísticas y personalizar la publicidad. Al acceder al sitio web, acepta este uso, de acuerdo con la Política de Privacidad.
Aceptar
Administrar