Ibovespa
127.625,84 pts
(-0,03%)
Dólar comercial
R$ 5,60
(0,30%)
Dólar turismo
R$ 5,81
(0,28%)
Euro
R$ 6,10
(0,13%)

Scania Super é eleito o Caminhão Verde 2024

O Green Truck Award é organizado pelas revistas Trucker e VerkehrsRundschau, na Europa
Por Redacción el 26 de abril de 2024 a las 9h39
Scania Super é eleito o Caminhão Verde 2024
Foto: Divulgação / Scania
Foto: Divulgación / Scania

O Scania Super foi eleito na Europa como o "Caminhão Verde de 2024" pelo Green Truck Award, organizado pelas revistas alemãs Trucker e VerkehrsRundschau. Anualmente, todas as fabricantes de caminhões pesados ​​são convidadas para o teste de comparação Green Truck, na Europa, com o objetivo de comprovar qual é o caminhão mais eficiente em termos de transporte. A premiação, criada em 2011, foi vencida pela Scania em nove das 14 edições.

O caminhão vencedor do Green Truck Award precisa passar por um crivo complexo de testes por meio da aplicação de uma fórmula inteligente, que abrange aspectos relevantes para o produto ser considerado eficiente em termos de transporte e sustentabilidade. As variáveis analisadas são: consumo de combustível, velocidade média, volume do aditivo AdBlue utilizado (no Brasil o correspondente é o aditivo Arla 32) e peso do caminhão (quanto mais leve, melhor).

O Scania Super se destacou nos dados reais usados ​​na fórmula do Green Truck: em 100 km de distância, a diferença média em relação ao segundo colocado foi de 0,41 litros de combustível. Vale a pena reforçar que um caminhão pesado, que percorre longas distâncias, roda em média 150 mil km por ano, na Europa. Neste cenário, os mais de 600 litros por ano economizados do Scania estão em melhor situação do que o concorrente mais próximo. Com 7.040 kg, o Scania Super também foi o veículo mais leve, e alcançou a maior velocidade média, de 79,7 km/h.

A Scania também apresentou uma versão atualizada de seu sistema CCAP (cruise control with active prediction, ou controle de cruzeiro com previsão ativa) em maio de 2023 na Europa, uma tecnologia que a marca acredita ter comprovado sua vantagem ao cliente no teste. As provas reais ocorreram em vários tipos de estradas, na área de Munique (Alemanha). Tudo foi acompanhado pelos organizadores e equipes das fabricantes participantes. Um caminhão de referência é sempre usado para compensar mudanças nas condições, como ventos contrários, chuva e temperatura.

O Scania Super foi lançado na Europa em 2021 e teve o início das vendas no Brasil em novembro de 2022. “O Super foi o único produto apresentado pela indústria, para a nova lei de emissões Proconve P8/Euro 6, iniciada em janeiro de 2023, com um trem de força 100% novo (motor, caixa e diferencial). É o nosso caminhão mais econômico da história”, afirma Marcelo Gallao, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Scania Operações Comerciais Brasil. Para se ter uma ideia, em comparação à geração anterior, Séries P, G e R, o Super proporciona uma economia de combustível de até 28%. Já sobre a geração Euro 5, a redução de consumo pode chegar a até 8%. “Em nosso país, estamos tendo um retorno fantástico de clientes superando estes índices. O reconhecimento europeu de Caminhão Verde 2024 reforça no Brasil o Super como a solução de transporte de menor custo total de operação do mercado, e um exemplo de eficiência energética e de redução de emissões”.    

“A Scania participa em muitos testes de imprensa na Europa, mas o Green Truck Award centra-se realmente no que é um requisito fundamental na nossa indústria – oferecer aos clientes a melhor eficiência de transporte possível”, afirma Stefan Dorski, vice-presidente sênior e responsável global pela Scania Trucks. “Nosso trem de força Super foi lançado em 2021, na Europa, e trouxe um novo nível de desempenho ao mercado, com economia de combustível de 8%, da qual nossos clientes agora se beneficiam em suas operações diárias.”

“Nós da Scania estamos muito orgulhosos e felizes por termos conquistado o título de caminhão pesado, usado em longas distâncias, mais eficiente do mundo. Consumir menos combustível significa reduzir as emissões de CO2, uma vez que grande parte dos transportes mundiais ainda depende de motores de combustão a diesel”, conclui Dorski. 

 

Utilizamos cookies y tecnologías similares para mejorar su experiencia, analizar estadísticas y personalizar la publicidad. Al acceder al sitio web, acepta este uso, de acuerdo con la Política de Privacidad.
Aceptar
Administrar