Ibovespa
131.689,38 pts
(1,61%)
Dólar comercial
R$ 4,93
(-0,97%)
Dólar turismo
R$ 5,14
(-0,90%)
Euro
R$ 5,35
(-1,00%)

Maersk registra queda de receita no 2º trimestre de 2023

A receita ficou em US$ 13 bilhões, em comparação com US$ 21,7 bilhões no segundo trimestre de 2022
Por Redação em 7 de agosto de 2023 às 11h59
Maersk registra queda de receita no 2º trimestre de 2023
Foto: Reprodução/Pixabay
Foto: Reprodução/Pixabay

A Maersk divulgou os seus resultados financeiros nesta segunda-feira (7) e relatou que teve um segundo trimestre em 2023 acima das expectativas, "enquanto a normalização do mercado continuou em andamento durante o período, levando a volumes e taxas mais baixas". Apesar disso, a empresa registrou uma queda na receita, ficando em US$ 13 bilhões no segundo trimestre deste ano, em comparação com US$ 21,7 bilhões no segundo trimestre de 2022.

De acordo com a empresa, a lucratividade foi de 12,4%, embora menor em comparação com o segundo trimestre de 2022. Refletindo o desempenho do primeiro semestre, a Maersk aumenta sua perspectiva financeira e agora espera um EBITDA subjacente de USD 9,5 - 11,0 bilhões (anteriormente USD 8,0 - 11,0 bilhões), EBITDA subjacente de USD 3,5 - 5,0 bilhões (anteriormente USD 2,0 - 5,0 bilhões), apesar de uma perspectiva de mercado enfraquecida para o segundo semestre.

"O resultado do segundo trimestre contribuiu para um primeiro semestre sólido em 2023, no qual respondemos a mudanças bruscas nas condições de mercado, provocadas pela desestocagem e pelo ambiente de crescimento moderado após os anos de pandemia. Nossas ações decisivas de contenção de custos, juntamente ao nosso portfólio de contratos, amorteceram alguns dos efeitos dessa normalização do mercado. O foco nos custos continuará a desempenhar um papel central para lidar com uma perspectiva de mercado moderada que esperamos que continue até o final do ano. Enquanto intensificamos essa agenda, estamos inabaláveis em nossa transformação e continuamos a investir e a fornecer soluções logísticas verdadeiramente integradas para os nossos clientes, ampliando a resiliência de suas cadeias de suprimentos para os tempos incertos que virão", diz Vincent Clerc, CEO da Maersk.

No comunicado, a multinacional diz que o segmento marítimo diminuiu de US$ 17,4 bilhões para US$ 8,7 bilhões, impulsionado por uma redução nas taxas de frete e nos volumes carregados.

"Embora o ambiente de volume e taxas tenha se estabilizado em um nível mais baixo durante o segundo trimestre, o segmento marítimo continuou a ser afetado pela menor demanda, impulsionada por uma correção significativa dos estoques, principalmente na América do Norte e na Europa. Uma forte gestão de custos permitiu compensar parcialmente o impacto da receita no desempenho financeiro no segmento Ocean", diz a nota.

A receita em Logística e Serviços foi de US$ 3,4 bilhões, comparada a US$ 3,5 bilhões. Conforme a Maersk, o segmento também foi afetado por volumes menores devido à contínua desestocagem e à demanda mais fraca dos consumidores, bem como às baixas taxas. "Assim como no segmento Ocean, espera-se que a demanda do mercado continue fraca, enquanto a correção dos estoques estiver em andamento." Além disso, foi divulgado que a receita em Terminais diminuiu de US$ 1,1 bilhão para US$ 950 milhões.

LEIA TAMBÉM:

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar