Ibovespa
129.303,88 pts
(-0,72%)
Dólar comercial
R$ 4,99
(0,78%)
Dólar turismo
R$ 5,18
(0,71%)
Euro
R$ 5,40
(0,77%)

Complexo de Suape ganha suporte internacional para desenvolver hidrogênio verde

Projeto faz parte da primeira fase da chamada bilateral Brasil-Alemanha pelo Senai e pela AIF
Por Redação em 27 de abril de 2023 às 11h15
Complexo de Suape ganha suporte internacional para desenvolver hidrogênio verde

O centro de testagem de projetos inovadores com foco no combustível do futuro do Complexo de Suape, conhecido como TechHub, foi um dos projetos selecionados pela chamada bilateral Brasil-Alemanha para desenvolver tecnologias destinadas à produção de hidrogênio verde (H2V). O anúncio foi divulgado durante a Feira de Hannover, no norte da Alemanha.

“Ser selecionado para participar de um projeto tão importante para a sustentabilidade no planeta é uma grande conquista para nosso complexo. É um caminho sem volta. O cuidado com o meio ambiente é uma das nossas prioridades e com a consolidação do TechHub, vamos empreender todos os esforços para nos tornar referência internacional na produção do combustível do futuro”, afirma o diretor-presidente de Suape, Marcio Guiot.

LEIA TAMBÉM: Em 2 anos, projeto da Tópico contribuiu para o reflorestamento de 14 mil m² da Mata Atlântica

O valor total do financiamento será de R$ 21 milhões. Os projetos selecionados ainda terão que ser submetidos a uma segunda fase, prevista para ter início em julho deste ano. O resultado desta etapa será divulgado em setembro. As propostas escolhidas terão que ser desenvolvidas no prazo de 12 a 36 meses, com início previsto para 2024. A coordenação será realizada pelo Instituto Senai de Inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Complexo de Suape ganha suporte internacional para desenvolver hidrogênio verde
Foto: Divulgação/Suape

“Vamos construir algo inovador, pioneiro e sustentável para o planeta. A ideia é transformar o Complexo de Suape em um laboratório vivo de pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco no combustível sustentável, nos tornando uma matriz energética limpa, com imensa capacidade de produção, tanto para consumo próprio, quanto para distribuição para o Nordeste, outras partes do país e até exterior”, ressalta o diretor de Sustentabilidade do atracadouro pernambucano, Carlos Cavalcanti.

As aplicações ainda serão concentradas em mais dois polos de desenvolvimento tecnológico no Brasil, como o Parque Senai Cimatec, na Bahia, e o Centro Verde de Hidrogênio de Balbina, no Amazonas, com o intuito de conectar projetos de transição energética em andamento, para aceleração de rotas tecnológicas e conexão com empresas produtoras e off-takers (consumidores) de hidrogênio verde.

“Uma grande oportunidade para o Brasil, dado que temos a matriz energética mais limpa do mundo e uma capacidade impressionante de produção de hidrogênio verde para consumo próprio e para distribuição mundial”, avalia o diretor de Inovação e Tecnologia do Senai, Jefferson Gomes.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar