Ibovespa
129.558,62 pts
(0,42%)
Dólar comercial
R$ 4,96
(-0,36%)
Dólar turismo
R$ 5,16
(-0,28%)
Euro
R$ 5,37
(-0,02%)

Demanda por carga aérea de fevereiro ficou acima dos níveis pré-pandemia pela 1a vez em 8 meses

Índice alcançou 2,9% de crescimento em comparação com o mesmo período em 2019
Por Redação em 6 de abril de 2023 às 12h57 (atualizado às 12h58)
Demanda por carga aérea de fevereiro ficou acima dos níveis pré-pandemia pela 1a vez em 8 meses

O transporte aéreo de carga mostra sinais de melhoria após a pandemia de Covid-19, é o que apontam os dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) que divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de fevereiro de 2023. De acordo com o relatório, a demanda por carga aérea aumentou e ficou acima dos níveis pré-pandemia pela primeira vez após oito meses.

Ainda segundo o relatório, a demanda global, medida em toneladas de carga por quilômetro (CTKs*), caiu 7,5% em relação a fevereiro de 2022 (-8,3% nas operações internacionais). Isso foi a metade da taxa de queda anual observada nos últimos dois meses (-14,9% e -15,3%, respectivamente). No entanto, a demanda por carga aérea de fevereiro ficou 2,9% acima dos níveis pré-pandemia (de fevereiro de 2019).

Além disso, a capacidade medida em toneladas de carga disponível por quilômetro (ACTK) subiu 8,6% em relação a fevereiro de 2022. Isso representa o primeiro crescimento ano a ano na capacidade desde outubro de 2022. Conforme o relatório, o forte aumento na métrica ACTKs é resultado do aumento da capacidade de carga em voos de passageiros com a recuperação desse serviço. A capacidade de carga em voos internacionais de passageiros aumentou 57,0% em fevereiro em relação ao ano anterior, atingindo 75,1% da capacidade de 2019 (pré-pandemia).

Destaques no ambiente operacional
Segundo a IATA, os novos pedidos de exportação globais, um dos componentes do PMI, índice que mede a demanda por carga, continuaram aumentando em fevereiro. O nível do PMI da China ultrapassou a marca crítica de 50, indicando crescimento da demanda por produtos manufaturados da maior economia de exportação do mundo.

LEIA TAMBÉM: 67% dos consumidores ainda sofrem com falhas nos recebimentos via e-commerce, diz pesquisa

Apesar da queda de 1,5% em fevereiro do comércio global de mercadorias, esta taxa de declínio foi menor do que a taxa do mês anterior, quando foi registrada queda de -3,3%. Além disso, o Índice de Preços ao Consumidor dos países do G7 caiu de 6,7% em janeiro para 6,4% em fevereiro. A inflação de preços ao produtor (insumos) caiu 2,2 pontos percentuais e atingiu 9,6% em dezembro (últimos dados disponibilizados).

"O transporte aéreo de carga apresentou declínios menores em fevereiro. A demanda ano a ano caiu 7,5%. Isso é metade da taxa de declínio relatada em janeiro. Essa mudança de ritmo foi suficiente para impulsionar o setor como um todo, levando a números positivos (+2,9%) em comparação com os níveis pré-pandemia. Com otimismo, podemos ver o início de uma tendência de melhoria e estabilização do mercado, além do retorno a padrões de demanda mais normais após os altos e baixos dramáticos nos últimos anos", disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Demanda por carga aérea de fevereiro ficou acima dos níveis pré-pandemia pela 1a vez em 8 meses

Transportadoras da América Latina
As transportadoras da LatAm relataram queda de 2,7% nos volumes de carga em fevereiro de 2023 em relação a fevereiro de 2022. Esse resultado indica queda no desempenho em relação a janeiro, quando foi registrado aumento de 4,6%. A capacidade em fevereiro aumentou 27,6% em relação ao mesmo mês de 2022.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar