Ibovespa
124.840,33 pts
(-0,39%)
Dólar comercial
R$ 5,26
(1,46%)
Dólar turismo
R$ 5,49
(1,69%)
Euro
R$ 5,59
(1,45%)

Trecho ferroviário Rumo Malha Central entra em operação regular

ANTT autoriza operações comerciais regulares na ferrovia, conectando os Pátios de Ouro Verde de Goiás a Santa Helena de Goiás
Por Redação em 15 de fevereiro de 2024 às 11h43
Trecho ferroviário Rumo Malha Central entra em operação regular
Foto: Divulgação / Rumo Logística
Foto: Divulgação / Rumo Logística

A Superintendência de Transporte Ferroviário da Agência Nacional de Transportes Terrestres (Sufer/ANTT) autorizou na última sexta-feira (09) as operações comerciais na Rumo Malha Central. O trecho ferroviário de 282 km fica entre os Pátios de Ouro Verde (POS) e Santa Helena (PSG), em Goiás, na área central da Ferrovia Norte-Sul, e é operado pela Rumo Logística

Inaugurado em 2023, o trecho vinha operando em regime de comissionamento, sujeito a testes e restrições operacionais para avaliar o comportamento da ferrovia. Segundo a ANTT, a autorização representa um importante passo na integração logística nacional, interligando os portos da região Norte e Sudeste e passando pela riqueza do Centro-Oeste brasileiro.

"A autorização para o início das operações na Rumo Malha Central representa um marco significativo no desenvolvimento da infraestrutura logística do Brasil, promovendo maior eficiência e competitividade nos transportes de carga. Além disso, fortalece a posição do país como um importante hub logístico na América do Sul", explica Rafael Vitale, diretor-geral da ANTT.

Ismael Trinks, Superintendente de Transporte Ferroviário da ANTT, completa: "a liberação para operação na Rumo Malha Central é celebrada como um passo significativo no aprimoramento da infraestrutura de transporte do Brasil, impulsionando o desenvolvimento econômico e a conectividade entre as regiões do país".

Com a nova rota em funcionamento, será possível promover maior fluidez no transporte de cargas e mercadorias alinhando ao desenvolvimento sustentável. A ANTT destaca os benefícios ambientais, uma vez que o modal ferroviário é conhecido por sua menor emissão de poluentes em comparação com os outros meios de transporte.

Inicialmente, estão previstos o transporte de mercadorias como carne bovina congelada, milho, açúcar, peças automotivas, minério e algodão. Os trens que serão utilizados para o transporte de mercadorias seguirão um padrão específico: serão compostos por 2 Locomotivas C30 e 16 vagões, com um peso bruto de 1.200 toneladas brutas (TB) e um peso líquido de 500 toneladas úteis (TU), além de um comprimento máximo de 400 metros.

 

LEIA MAIS:

 

 

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar