Ibovespa
119.662,38 pts
(0,08%)
Dólar comercial
R$ 5,38
(0,28%)
Dólar turismo
R$ 5,58
(0,03%)
Euro
R$ 5,76
(-0,05%)

Transporte de cargas do agronegócio no terminal da VLI em Porto Nacional cresce 22% e bate recorde no ano

Entre janeiro e outubro, sistema que integra rodovia, terminal e ferrovia no Arco Norte movimentou cerca de 600 mil toneladas a mais que em todo o ano de 2021
Por Redação em 21 de dezembro de 2022 às 13h00 (atualizado às 13h36)
Transporte de cargas do agronegócio no terminal da VLI em Porto Nacional cresce 22% e bate recorde no ano

O transporte de grãos e farelo de soja pelo Terminal Integrador Porto Nacional (TIPN), no Tocantins, administrado pela VLI, bateu recorde anual e ultrapassou em 600 mil toneladas a movimentação em relação ao ano anterior. O resultado representa um crescimento de 22% na comparação com o acumulado de 2021. No ano passado, foram movimentados 2,7 milhões de toneladas, entre janeiro e dezembro. Já até outubro deste ano, a companhia alcançou a marca de 3,3 milhões de toneladas.

De acordo com a própria VLI, a produção tocantinense, assim como da região formada pelo Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), conta com atributos naturais e uma robusta infraestrutura de escoamento, que cresce e é desenvolvida a cada ano. Os resultados das movimentações no Terminal Integrador de Porto Nacional evidenciam o suporte ao agronegócio e o potencial de desenvolvimento da produção regional.

Leia mais: FS e VLI iniciam transporte de etanol de milho para o Porto de Itaqui

“Sem dúvida, esse recorde é fruto de muito trabalho de otimização em nossas operações. O Tocantins vem apresentando safras de soja e de milho surpreendentes e o nosso objetivo é contribuir com o desenvolvimento do estado, investindo em logística para movimentações cada vez mais eficientes”, afirma o diretor de Operações do Corredor Centro-Norte da VLI, Daniel Schaffazick.

Atualmente, o terminal de Porto Nacional possui capacidade para armazenar 60 mil toneladas de grãos, entre soja, milho e farelo, e movimentar até 5 milhões de toneladas por ano. As cargas, originárias nas regiões do Matopiba, além de Mato Grosso, Goiás e Pará, chegam de caminhão até os terminais. Na unidade, é feita a descarga dos veículos, o armazenamento e o transbordo de grãos para os trens. Os vagões carregados seguem pela Ferrovia Norte Sul (FNS), também controlada pela VLI, para o Porto do Itaqui, localizado em São Luís, com destino à exportação.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar