Ibovespa
127.872,48 pts
(0,08%)
Dólar comercial
R$ 5,59
(-0,03%)
Dólar turismo
R$ 5,77
(-0,33%)
Euro
R$ 6,08
(-0,18%)

Operações do TCP crescem 28% no primeiro semestre de 2004

Por Redação em 27 de julho de 2004 às 12h23 (atualizado em 02/05/2011 às 12h18)

O TCP - Terminal de Contêineres de Paranaguá registrou um aumento de 28,31% na movimentação de contêineres no primeiro semestre de 2004, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram 97.139 unidades, contra 75.708 entre janeiro e junho de 2003.

O Terminal atingiu 161.261 TEUs; um crescimento de 24,57% sobre os 129.453 TEUs do primeiro semestre do ano passado. O aumento da movimentação ocorreu em função do investimento de R$ 170 milhões feito pelo TCP nos últimos cinco anos em obras, novos equipamentos, serviços e facilidades para seus usuários.

A obra mais recente foi a ampliação do cais, que passou a ter uma extensão total de 655 metros, com dois berços exclusivos para contêineres e um berço dedicado às operações envolvendo veículos. O segundo berço de atracação começou a operar em 1-º de julho.

Com o aumento das movimentações, os embarques e desembarques de mercadorias também registraram crescimento no Terminal. De janeiro a junho de 2004, as exportações cresceram 29,48% em relação ao mesmo período em 2003, alcançando 40.270 contêineres cheios. As importações aumentaram 10,19% no período, com um total de 20.834 contêineres cheios.

O segmento no qual o TCP obteve maior crescimento no primeiro semestre de 2004 foi o de transbordo de contêineres. Foram registrados no período 8.805 movimentos, um aumento de 781% sobre os 998 movimentos do primeiro semestre de 2004.

Como resposta aos investimentos em obras e serviços, o Terminal obteve sucessivos aumentos de produtividade ao longo dos anos. Hoje, já atinge 90 movimentações por hora, devido à operação de três portêineres e sete transtêineres adquiridos pela empresa.

Neste ano, o TCP continuará seu programa de investimentos que, até dezembro, deverá somar um total de R$ 185 milhões. "Hoje, temos grande disponibilidade de espaço para o recebimento de contêineres, equipamentos portuários de última geração, com elevada produtividade alcançada desde o início das operações, profissionais capacitados e treinados em todos os setores e softwares e hardwares de gestão que permitem o controle das operações em tempo real, com total transparência das informações por meio da Internet", afirma Mauro Marder, diretor-superintendente do TCP.

"Com isso, pudemos oferecer aos nossos clientes alternativas operacionais não imaginadas anteriormente em Paranaguá, que se transformaram em vantagens competitivas em relação aos portos concorrentes." Segundo Marder, o TCP deverá melhorar ainda mais seu desempenho no segundo semestre.

A entrada em operação do segundo berço já reflete na redução da espera para atracação. Além disso, foram adotados novos procedimentos para a entrada dos contêineres de exportação, simplificando o processo, desburocratizando o relacionamento e eliminando filas de espera para descarga.

Outro ponto favorável é que o Serviço de Inspeção Federal (SIF) passou a atuar com um escritório dentro do TCP, colocando à disposição uma câmara resfriada para as reinspeções do Ministério da Agricultura.

"Todos esses fatores, aliados à manutenção da altíssima produtividade operacional, deverão refletir, no médio prazo, em aumento da procura dos armadores para escalar seus navios em Paranaguá", prevê o superintendente. No primeiro semestre deste ano, o TCP realizou 314 escalas.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar