Segunda-feira, 28 de março de 2016 - 11h51
Posidonia mantém faturamento estável mesmo em meio à crise
Companhia iguala receita de 2014 no ano passado e mantém planos de investimento

A Posidonia, empresa que atua no transporte de carga tanto em navegação de cabotagem quanto de longo curso, encerrou 2015 com uma receita de R$ 60 milhões, resultado que ficou no mesmo patamar do que havia sido obtido no ano anterior, mesmo em meio a um cenário de instabilidade econômica.

“Tivemos um ano extremamente desafiador. As turbulências na economia deixaram as empresas mais conservadoras e menos propensas a investir no aumento da produção”, analisa Abrahão Salomão, CEO da Posidonia. “Houve uma compensação entre os tipos de carga. Enquanto algumas diminuíram, outras aumentaram de volume, o que resultou em um saldo positivo no final de tudo. Isso nos deixa bastante confiante quanto aos nossos planos para o futuro”.

O executivo destaca que a empresa manteve os investimentos na construção da embarcação multipropósito Posidonia Bravo, que terá capacidade para transportar 3 mil toneladas e já está em produção no Rio Grande do Sul. “Para o início da construção e melhorias nos processos de qualidade e segurança da empresa, destinamos R$ 8 milhões no ano passado. Entendemos que o constante investimento em procedimentos internos e na construção de novos navios é o que nos levará a um patamar superior”, explica.

A previsão é que o Posidonia Bravo demande investimentos totais de US$ 17 milhões. A embarcação, que atenderá demandas de empresas de infraestrutura, deve entrar em operação no início de 2017. A Posidonia planeja construir mais três navios a partir do próximo ano, cada uma com capacidade para 15 mil toneladas, totalizando US$ 27 milhões, sendo parte do aporte de responsabilidade do Fundo de Marinha Mercante (FMM).

A empresa opera com navios próprios, afretados e administrados, em projetos que vão desde o abastecimento e o suporte a plataformas marítimas até o transporte de automóveis e cargas especiais entre os portos do Brasil e da Argentina, atuando na armação, administração e operação dos navios e no transporte de contêineres, granéis sólidos e líquidos, carga geral e veículos, além de realizar atividades de apoio marítimo.