Terça-feira, 22 de agosto de 2017 - 10h22
TCP cresce 12% no primeiro semestre de 2017
Terminal de Contêineres de Paranaguá atingiu faturamento de R$ 284 milhões nos primeiros seis meses do ano

O Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR) obteve receita de R$ 284 milhões no primeiro semestre de 2017, contra R$ 253 milhões no mesmo período do ano passado, resultado que representa um crescimento de 12% no faturamento.

No período, o terminal movimentou aproximadamente 372 mil TEUs. Somente no segundo trimestre, encerrado em 30 de junho, o crescimento foi de 1,8% no volume movimentado, atingindo 201 mil TEUs, crescimento acima ao do mercado. De acordo com Alexandre Rubio Teixeira Pinto, CFO da TCP, as importações de automotivos, bens de consumo e eletrônicos suportaram o crescimento do volume movimentado nesse último trimestre.

Outro destaque positivo do TCP no primeiro semestre foi o volume de cargas refrigeradas movimentadas, como carne, frango e suínos, que atingiu 8.249 contêineres no mês de junho passado.

Segundo o executivo, o bom desempenho na primeira metade de 2017 também está relacionado à atração de novas cargas para exportação, em especial pela capacidade operacional  e alta disponibilidade do terminal, bem como pelo número de linhas marítimas oferecidas para importadores e exportadores. Em abril, o TCP passou a operar uma nova linha, recebendo navios com origem ou destino para o Caribe e Golfo Americano, com escalas em New Orleans (EUA), Houston (EUA), Altamira (México) e Veracruz (México), totalizando 15 escalas realizadas durante o segundo trimestre de 2017.

No primeiro semestre de 2017 a TCP também iniciou as atividades de planejamento, mobilização de equipamentos e aquisição de materiais para as obras de expansão do terminal, que devem ser iniciadas neste segundo semestre. As obras incluem a expansão do cais de atracação, que ganhará mais 220 metros, passando a contar com 1.099 metros de extensão, a construção de dolphins exclusivos para a atracação de navios que fazem o transporte de veículos e a ampliação da retroárea, que hoje conta com 320 mil m² e será ampliada para cerca de 500 mil m².