Segunda-feira, 4 de novembro de 2019 - 10h59
Açu Petróleo operacionalizou até outubro 53 milhões de barris
Meta da empresa é encerar o ano com 65 milhões de barris de petróleo movimentados

A Açu Petróleo, parceria entre o Grupo Prumo e a alemã Oiltanking, registrou neste ano recorde de movimentação em seu terminal no Porto do Açu, em São João da Barra (RJ). Desde o início do ano, já foram movimentados mais de 53 milhões de barris, ultrapassando o total registrado em todo o ano de 2018, que foi de 40 milhões de barris.

“Temos um terminal eficiente e moderno, que possibilita uma operação segura, rápida e com menor custo global para os nossos clientes. E, cada vez mais, percebemos que esses diferenciais são essenciais na tomada de decisão das petroleiras”, diz o CEO da Açu Petróleo, Victor Snabaitis Bomfim.

A empresa, que prevê encerrar 2019 com cerca de 65 milhões de barris de petróleo movimentados, já possui contratos com todas as petroleiras que realizam operações de exportação no Brasil. A última a operar no terminal foi a Repsol, que movimentou cerca de 1 milhão de barris produzidos no Campos de Sapinhoá, na Bacia de Santos.

Com localização estratégica, próximo às bacias de Campos e Santos, o Terminal da Açu Petróleo realiza operações de transbordo em área abrigada por quebra-mar, com os navios cercados por barreiras de contenção e ao lado de uma base de resposta a emergência, possibilitando uma operação confiável e segura, com menor risco de impacto ao meio ambiente.

Com 25 metros de profundidade e capacidade licenciada para movimentar até 1,2 milhão de barris de petróleo por dia, o Terminal da Açu Petróleo está apto para receber navios da classe Very Large Crude Carrier (VLCC), considerados os maiores do mundo. Desde que começou a operar, em 2016, a Açu Petróleo já realizou 114 operações de transbordo, sendo 24 com navios do tipo VLCC.

Com os aumentos da produção e da exportação de petróleo previstos para os próximos anos, a Açu Petróleo está desenvolvendo um projeto para ampliar os serviços prestados. “O Brasil tem um grande desafio para os próximos dez anos, que é investir em infraestrutura para suportar o crescimento nas exportações de petróleo, que pode chegar a quase 3 milhões de barris por dia. Neste contexto, a Açu Petróleo está desenvolvendo um projeto que contempla parque de tancagem e oleodutos que conectarão o Açu aos campos produtores da Bacia de Campos e também às refinarias instaladas no Sudeste do país”, salienta Bomfim.