Segunda-feira, 27 de janeiro de 2020 - 10h24
Movimentação de contêineres no Tecon Salvador cresce 4% em 2019
Ao todo, 211.540 unidades passaram pelo terminal; destaques ficaram por conta da importação e da cabotagem

O Tecon Salvador, terminal de contêineres do Grupo Wilson Sons situado na capital baiana, movimentou, entre janeiro e dezembro de 2019, 211.540 contêineres, crescimento de 4% frente ao ano de 2018, quando o resultado chegou a 203.979 contêineres. Os grandes destaques ficaram por conta da importação e da cabotagem.

No desembarque, o volume de contêineres cheios cresceu 12%, com a movimentação de 44.149 contêineres, quando em 2018 o total foi de 39.439. Já na cabotagem o crescimento foi de 5%, também em contêineres cheios, quando comparado ao ano passado, sendo 50.101 em 2019 e 47.696 em 2018.

De acordo com o diretor executivo do Tecon Salvador, Demir Lourenço, a cabotagem é um modal consolidado que apresenta resultados crescentes ano a ano. “Hoje, o mercado tem uma visão melhor e mais abrangente sobre as vantagens da cabotagem, que vão desde a economia de custos à maior segurança e menor risco de avarias, além do impacto ambiental, que tem redução de 90% na emissão de gases poluentes se comparado com o modal rodoviário”, diz.

O executivo explica que o terminal manteve na navegação costeira o atendimento a setores já consolidados, mas também ampliou a atuação em outros segmentos, como couro, óleos e lubrificantes e cacau e seus derivados. Os principais produtos movimentados na modalidade que apresentou mais índices de crescimento foram os dos segmentos de móveis e utensílios (116%), siderúrgicos e metalúrgicos (113%), além de químicos e petroquímicos (7%).

Na importação, Lourenço aponta que a realização de leilões de energia renovável e o início de projetos nos últimos anos contribuíram para a frequente movimentação de cargas pelo terminal baiano. O Tecon Salvador atende indústrias que produzem equipamentos e geram energia solar e eólica. Vale lembrar que é por meio do terminal soteropolitano que peças como pás, aerogeradores, hubs e cargas de grandes dimensões e especificidades chegam aos parques de produção de energia renovável, incluindo o maior da América do Sul, em implantação no estado do Piauí. Além de energia renovável, peças e equipamentos (37%) e embalagem (50%) também foram destaques do ano de 2019.

Nos últimos cinco anos houve a movimentação de mais de 275 mil toneladas de cargas de projeto. “Em 2020 temos escalas programadas para o parque em Piauí, além do atendimento a outros projetos de energia renovável. Como os leilões de energia renovável foram retomados com regularidade e dada a expertise desenvolvida pelo terminal na movimentação desse tipo de cargas e seu bom relacionamento com os principais players do segmento, esperamos dar continuidade ao atendimento dessas cargas”, aposta o diretor executivo do Tecon Salvador.