Quinta-feira, 9 de julho de 2020 - 9h22
Agronegócio é destaque nas movimentações do Tecon Rio Grande
De janeiro a maio deste ano, 54% das cargas movimentadas pelo terminal foram referentes ao setor

A Wilson Sons, por meio do Tecon Rio Grande, terminal de contêineres no Porto de Rio Grande (RS), informa que de janeiro a maio de 2020 54% das cargas movimentadas pelo terminal foram referentes ao agronegócio. Segundo a empresa, os produtos do agronegócio representaram 75% da cabotagem, 50% da exportação e 34% da importação.

“O Tecon Rio Grande se orgulha de fazer parte da exportação e cabotagem dos produtos de agronegócio desde nossos primeiros anos de operação. É um setor forte que, junto à cadeia logística, trabalha rapidamente frente às adversidades, sempre se mantendo presente na vida dos brasileiros”, explica o diretor-presidente do Tecon Rio Grande, Paulo Bertinetti.

Na cabotagem, os produtos mais movimentados no período foram arroz, madeira e leite em pó. Já entre as cargas mais exportadas estão tabaco, madeira, frango congelado, arroz e carne suína. Os principais destinos de exportação foram Peru, Bélgica, Estados Unidos, Arábia Saudita e China. O setor agropecuário importou partes e peças de máquinas, implementos agrícolas, além de produtos químicos e fertilizantes, de fornecedores europeus e asiáticos, principalmente chineses.

A companhia revela que 5% dos produtos do agronegócio chegam ao Tecon Rio Grande pelo modal fluvial, via Tecon Santa Clara. Hoje, 25% das cargas movimentadas no terminal hidroviário também são commodities, como madeira e frango congelado. A maior parte das mercadorias transportadas é destinada à exportação e tem como origem as cidades de Triunfo, Taquari e Garibaldi, no estado do Rio Grande do Sul. Entre os serviços disponibilizados pelo Tecon Santa Clara está o fornecimento de energia para contêineres reefer, possibilidade de estufar e desovar produtos no armazém, além de entrega de carga fracionada ou completa nos seus destinos.

O Tecon Rio Grande opera as principais linhas de navegação que escalam o país e atende a cerca de três mil importadores e exportadores, tendo se tornado fundamental para o desenvolvimento econômico do estado do Rio Grande do Sul.