Quinta-feira, 26 de agosto de 2021 - 14h25
Hapag-Lloyd divulga números do primeiro semestre de 2021
Empresa concluiu o período com um Ebitda de US$ 4,2 bilhões, Ebit de US$ 3,5 bilhões e lucro de US$ 3,3 bilhões

A Hapag-Lloyd publicou os números obtidos no primeiro semestre de 2021. A empresa concluiu o período com um Ebitda de US$ 4,2 bilhões (EUR 3,5 bilhões). Já o Ebit subiu para US$ 3,5 bilhões (EUR 2,9 bilhões) e o lucro do grupo subiu para US$ 3,3 bilhões (EUR 2,7 bilhões).

“Em um mercado com uma demanda muito forte por transporte de contêineres, nos beneficiamos de taxas de frete significativamente melhoradas e tivemos um primeiro semestre muito bom. Entre outras coisas, fomos capazes de reduzir nossa dívida líquida em US$ 1,5 bilhão, embora tenhamos pago um dividendo significativamente mais alto em comparação com o ano anterior ”, diz o CEO da Hapag-Lloyd, Rolf Habben Jansen.

De acordo com a empresa, as receitas aumentaram aproximadamente 51% no primeiro semestre de 2021, chegando aos US$ 10,6 bilhões (EUR 8,8 bilhões), principalmente por conta de uma taxa de frete média 46% mais alta. O desenvolvimento da taxa de frete foi o resultado da alta demanda combinada com a escassa capacidade de transporte e severos gargalos de infraestrutura.

Os volumes de transporte chegaram a 6.004 TEUs, 4% acima do valor comparável do ano anterior, que foi impactado por uma queda na demanda no segundo trimestre devido à pandemia Covid-19. Além disso, o preço médio de consumo de combustível foi cerca de 6% mais baixo, que totalizou US$ 421 por tonelada no primeiro semestre de 2021 (primeiro semestre de 2020: US$ 448 por tonelada) o que impactou positivamente nos lucros.

Embora a demanda permaneça alta no atual ambiente de mercado, é verificada uma escassez na capacidade de transporte semanal disponível. Por este motivo, a Hapag-Lloyd espera que os lucros permaneçam fortes na segunda metade do ano. O Ebitda para o ano inteiro deve ficar na faixa de US$ 9,2 a US$ 11,2 bilhões (EUR 7,6 a 9,3 bilhões) e o Ebit na faixa de US$ 7,5 a US$ 9,5 bilhões (EUR 6,2 a 7,9 bilhões).

“Estamos naturalmente satisfeitos com este extraordinário resultado financeiro. Mas os gargalos nas cadeias de abastecimento continuam a causar enormes tensões e ineficiências para todos os participantes do mercado e temos que fazer o nosso melhor para resolvê-los em conjunto o mais rápido possível. Olhando para o ambiente do mercado hoje, no entanto, não acreditamos que a situação volte ao normal tão cedo – apesar de todos os esforços feitos e da capacidade adicional de contêineres que está sendo injetada. No momento, esperamos que a situação do mercado só melhore no primeiro trimestre de 2022, no mínimo”, pontua Jansen.