Terça-feira, 15 de agosto de 2006 - 15h01
ALL lucra R$ 98 milhões no primeiro semestre

Novos contratos e recuperação das exportações no sul do país foram alguns dos fatores que contribuíram para o resultado positivo

 A América Latina Logística (ALL) contabilizou lucro líquido de R$ 98 milhões nos seis primeiros meses de 2006, crescimento de 97% se comparado ao mesmo período do ano anterior. O EBITDAR (lucro antes de juros impostos, depreciação, amortização e leasing) acumulado registrou crescimento de 25%, R$ 274 milhões.

 Durante o primeiro semestre, a empresa registrou um aumento no volume total de 8,8%. Apesar da interrupção de estradas e ferrovias no mês de maio por fazendeiros, na unidade de commodities agrícolas foi registrado um aumento no volume de 9,9% - graças ao crescimento de 100% registrado na parte sul da ferrovia operada pela ALL. No porto de Rio Grande, por exemplo, as exportações aumentaram 272%, recuperando-se da seca ocorrida no ano de 2005. O destaque no setor agrícola ficou por conta da soja – aumento de 40% no volume transportado.

 Os produtos industriais também merecem destaque. O volume cresceu 8,8% impulsionado por um aumento de 15% no volume transportado nos fluxos intermodais. Os setores que mais se destacaram foram o siderúrgico, papel e celulose e alimentos – crescimento de 82%, 27%, 17,5%, respectivamente.

 A assinatura de novos contratos junto a empresas como Unilever, Volkswagen, Ipiranga Petroquímica, Bunge, Scania, Agrenco e Seara, além do aumento de volume das operações na Argentina, 6%, também contribuíram para o bom desempenho da ALL no primeiro semestre.

 De acordo com gerente de relações com o investidor, Rodrio Barros,  para o segundo semestre de 2006 a expectativa é manter o patamar de crescimento. “Podemos crescer mesmo não entrando em novos segmentos e fechando novos contratos”, assegura. Na opinião de Barros, ainda há possibilidade de expansão nos setores em que atuam e nos clientes atendidos.

Apesar disso, o gerente já vislumbra novos nichos. Isso porque, explica o executivo, no Brasil setores como automotivo e frigorificados, por exemplo, ainda são pouco explorados pelas companhias ferroviárias.

Brasil Ferrovias

No segundo trimestre, foi concluída a primeira fase de reestruturação da Brasil Ferrovias, sem interrupção de volume ou serviços. A aquisição foi efetivada no mês de maio e no dia 16 de junho a operação foi oficializada com a troca de ações. Com isso, a ALL estendeu seus negócios para os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, ampliou sua atuação no estado de São Paulo e passou a ter acesso ao Porto de Santos.

O trabalho já teve início. Uma equipe de 20 executivos da ALL foi deslocada para liderar o processo de integração entre as companhias, que deve ser finalizado no primeiro trimestre de 2007. O custo de reestruturação está previsto em cerca de R$ 400 milhões.

Em junho, a Brasil Ferrovias alcançou uma receita de R$ 84 milhões e um EBITDAR de R$ 15 milhões.

www.all-logistica.com