Quinta-feira, 19 de janeiro de 2017 - 14h31
Terminal de Petrolina registra aumento nas exportações em 2016
No total, 2.964 toneladas foram exportadas, um crescimento de 1,2% na movimentação de cargas em relação ao ano anterior

O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto de Petrolina, Senador Lino Coelho, em Pernambuco, registrou, no acumulado de 2016, alta de 1,2% na movimentação de cargas em relação ao ano anterior. No total, 2.964 toneladas foram exportadas pelo terminal petrolinense, que é ponto de referência no escoamento das frutas produzidas na região do Vale do São Francisco.

O terminal de Petrolina conta com voo regular semanal da empresa Cargolux – com destino a Luxemburgo –, o que, de acordo com o superintendente do aeroporto, Moyses Barbosa da Silva Filho, contribuiu para o resultado positivo. “Como há regularidade no voo, os exportadores podem programar suas operações ao longo do ano, incluindo o custo dos fretes com voos saindo de Petrolina”, diz.

O superintendente destacou ainda a entrada de novas mercadorias que passaram a ser exportadas pelo Teca, como o abacaxi e o limão, por exemplo. “Mas nosso carro chefe em 2016 foi a exportação de manga”, conta.

Para atender a demanda, o Teca de Petrolina conta com seis câmaras frigoríficas para armazenamento de frutas, uma antecâmara dividida em três ambientes de climatização independentes e dois túneis de resfriamento de frutas voltadas à exportação. O aeroporto conta ainda com um pátio exclusivo para atender às demandas da área de logística.

Para o superintendente, 2017 deve apresentar cenário mais favorável às exportações. “Já iniciamos o ano com duas operações cargueiras no mês de janeiro, o que não ocorria há mais de cinco anos. A expectativa é alcançar crescimento na casa dos dois dígitos”, concluiu.

Para atingir a meta, a Infraero planeja continuar trabalhando com a fidelização de clientes, mantendo a parceria com exportadores que já atuam no Teca de Petrolina e que podem aumentar o volume de cargas, como ocorreu em 2016, e de frequência de voos para atendimento exclusivo dessas cargas.

Para 2017, a intenção também é retomar as importações. “Estamos em tratativas com duas empresas que estão bastante interessadas em trazer suas mercadorias via Aeroporto de Petrolina”, adiantou o superintendente.