Sexta-feira, 20 de dezembro de 2019 - 17h46
Porto de Santos registra crescimento de 154% no lucro líquido
Empreendimento vai encerrar 2019 com lucro depois de amargar prejuízo de R$ 468,72 milhões em 2018

A Santos Port Authority (SPA) registrou um resultado positivo de R$ 138 milhões no lucro líquido do Porto de Santos (SP) até o mês de novembro de 2019. O valor representa um crescimento de 154% na comparação com o mesmo período de 2018.

De acordo com a entidade, ainda não é possível projetar o fechamento de 2019 devido a possíveis contingências a serem feitas até o dia 31 de dezembro, mas os números obtidos já apontam claramente para uma reversão do prejuízo registrado de janeiro a dezembro do ano passado.

“Promovemos um choque de gestão, com um robusto programa de eliminação de desperdícios e aumento de receita. Viramos o jogo. Fecharemos o ano no azul, revertendo o prejuízo de R$ 468,72 milhões de 2018. Estamos comprometidos em preparar Santos para a máxima geração de valor, com mais investimentos, novos negócios e modernização do perfil da mão de obra”, destaca Casemiro Tércio Carvalho, CEO da SPA.

De acordo com o executivo, os números registrados e tanto as ações em andamento quanto as ações projetadas para 2020 indicam que o próximo ano será ainda melhor. “O Porto de Santos vive um momento de transformação. Os efeitos mais duradouros serão reconhecidos a médio e longo prazo, mas suas bases já estão lançadas”, diz.

Os principais temas na agenda do porto para 2020 são a recepção dos maiores navios que operam no mercado, a implantação do Port Community System, a integração das respostas no Plano de Contingência do Porto de Santos e dos monitoramentos ambientais, a atualização do sistema de segurança e a entrega do Vessel Traffic Service (VTS).

“Nossa visão é do Porto Além do Porto, pois atuamos com uma lógica comercial que entende o porto como uma plataforma indutora de negócios da economia brasileira, além do papel de provedor de infraestrutura”, completa Carvalho.

Arrendamentos e concessão

A SPA trabalha em conjunto com a Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA) e com a Empresa de Planejamento Logístico (EPL) na modelagem dos próximos arrendamentos no Porto de Santos. Três áreas já foram qualificadas no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI): duas para celulose e uma para granéis líquidos, com previsão de irem a leilão em 2020 e 2021.

Os dois terminais para celulose são o STS 14 e STS 14A, que serão instalados no Macuco, onde já existe operação do insumo, compondo um corredor portuário com capacidade para até 12 milhões de toneladas de celulose. A terceira área é a do terminal STS 08. Localizada na Alemoa, trata-se da maior área para um terminal de granéis líquidos em portos públicos. Parte dela é operada hoje pela Transpetro.

A concessão do canal de navegação é um dos principais projetos da atual gestão do Porto de Santos. Dezesseis proponentes foram habilitados a doar estudos à SPA até 6 de janeiro de 2020 para subsidiar a confecção de um eventual edital de licitação.

De acordo com a autoridade portuária, o perfil variado dos habilitados, que inclui de grandes grupos de engenharia a empresas de dragagem, passando por consultorias e escritórios de advocacia, demonstra o grande interesse do mercado por essa concessão.